Estresse!

Perguntei a alguém sobre o que escrever a você que tomou estas páginas para ler e a mesma ficou a fazer perguntas e mais perguntas o que me irritou e me fez ser deveras frio na resposta e, de súbito, a pessoa me dissera que eu estava estressado e que deveria ter mais calma e que meu texto hoje deveria falar do estresse do mundo moderno…

Já não gosto de falar sobre isso, não é mesmo?

As controvérsias do mundo moderno vem a “detonar” tudo aquilo que dizemos crer que seria bom e melhor…

No passado não se tinha tempo para conversar porque se tinha que levar as roupas a lavar nos rios e “quarar” ao sol… Hoje se tem máquinas modernas de lavar roupas, mas ainda não se tem tempo de sentar para o diálogo.

Outrora não existiam novelas e filmes a se assistir e se tinha tempo de sentar-se à mesa… Hoje não se tem tempo de sentar-se à mesa porque cada qual leva seu prato diante da tv e ali se depara com as novelas e filmes que ocupam todos os espaços e tempos; quando não cada qual pega seu notebook ou seu tablete e não se conversa ou apenas se mandam mensagens por SMS para que se possa dizer claramente aquilo que não se tem coragem de dizer face a face.

É… O estresse do mundo moderno vem porque não se tem tempo porque o tempo fora ocupado pelas modernidades que vieram para que o ser humano tenha mais tempo; mas o tempo que as invenções modernas ocupam roubaram o tempo que se procurava por não ter tempo de estar tendo tempo. Quanto tempo? Affi!

Parar é preciso…

Viver é preciso…

Estar é preciso…

Fazer-se é preciso.

Neste tempo de estresse cada qual quer testar o outro e neste teste inventado em nossas maneiras de ver a vida acabam por ocupar tantos espaços que travam em nós a essência de nossa felicidade.

Muitas vezes ouço em telenovelas e confissões que a vida está completa e que a felicidade da pessoa foi encontrada neste ou naquele tempo ou espaço ou pessoa e, em seguida, já se entregam a loucuras e frenesis que roubam toda a certeza incerta de algo novo. Não temos coragem de ir avante porque as coisas não são como queremos e não sabemos quebrar nosso egoísmo ou orgulho para fazer algo maior e entregar-se mais e melhor aos nossos sonhos… Muitas vezes queremos destruir as pessoas que nos conduzem porque, pelo nosso estresse ou nosso modernismo,achamos que podemos mais e ser mais e não conseguimos, em nome de algo maior, fazermo-nos menores.

É… Precisamos acabar com o estresse de estressar os outros para ganharmos o que queremos e parar com a mania que temos de não aceitar que o outro pode ser melhor que a gente e que a função que ocupamos é temporal… Vai passar. E que quem pisamos hoje poderá nos pisar amanhã… Nosso futuro começa a ser semeado hoje e nosso estresse pode causar um enorme “rombo” no coração e na vida seja minha ou de outrem a quem não aceito e não amo.

Nosso estresse (eita palavrinha feia e ridícula) nos levará somente a estarmos sozinhos ou envoltos somente em e com pessoas que nos bajulam hoje para amanhã, tal qual Brutus da história, nos apunhalar pelas costas.

Nos preocupemos em nos estressar para sermos felizes e fazer alguém feliz.

Que estresse estressante a estressar a gente…

Com um beijo, sem estresse, de Jesus que nos desestressa, pelos lábios de Maria e no abraço de José:

 

Pe. Delair Cuerva, fmdp

 

Xô estresse!!!!