Ditos Populares

Muitos são os ditos populares que me levam a aprender mais e mais sobre a vida e me levam a meditar um pouco mais nas coisas que devemos fazer e que temos que fazer.

Ouço o dito… “a vaca vai pro brejo” e me pergunto: o que faço para não ir pro brejo da vida… O que faço para que o mundo seja melhor e não o afunde mais nos brejos encontrados no nosso dia a dia?

Ouço o dito… “agora Inês é morta” e me coloco a pensar se muitas vezes não beijo os anéis dos defuntos da vida tal e qual a tal Inês de Castro da história que foi desenterrada para que fosse reverenciada pela coorte porque não era sofisticada quando viva e fico imaginando como a gente não valoriza as pessoas em vida e deixamos para reverenciá-las somente depois de irem para a eternidade.

Ouço o dito… “quem fala demais dá bom dia a cavalo” e fico pensando como a gente fala, não é verdade? Ainda bem que fomos criados com uma boca e duas orelhas… Talvez pra lembrarmos de falar menos; mas muitas vezes falamos tanto que acabamos falando aquilo que não deve e acabamos, por vezes, destruindo pessoas amigas ou criando inimizades diante de nossa língua afiada.

Ouço o dito… “diga-me com andas e lhe direi quem és”, mas me coloco a pensar se assim fosse o Cristo seria o pior ser que pisou nesta terra, pois andou com prostitutas, pecadores e todo tipo de gente de má fama… Por vezes, se não tivermos “a cabeça boa” podemos sim nos contaminar, mas, se formos melhores em meio aos piores os poderemos contagiar para o bom caminho… Portanto podemos ser a laranja melhor em meio ? s piores contrariando o dito “uma laranja podre estraga as outras”… Assim sendo só depende de nós…

Ouço o dito… “cão que late não morde”, mas eu que não vou colocar a mão na boca dele… (risos) e me coloco a pensar que não preciso “cutucar” as pessoas… Não preciso fomentar a discórdia para “ver o circo pegar fogo”… Não preciso fazer uma pessoa se voltar contra a outra. Não preciso duvidar do mal que teima em habitar em nosso peito e que nos leva a avançar sobre os outros… É… Tomemos cuidado com o cão que ladra dentro de nós.

Ouço o dito… “a boca fala do que o coração está cheio” e me coloco a pensar que muitas vezes soltamos pelos lábios aquilo que está escondido em nosso coração, pois muitas vezes, na hora do nervosismo, somos aquilo que realmente somos e deixamos sair aquilo que realmente sentimos… Parece que precisamos estar fora de nós para dizer o que realmente sentimos… Não podemos mascarar nossa vida… Temos que ser quem somos para sermos amados como somos!

Ouço o dito… “cavalo dado não se olham os dentes” e fico pensando como somos egoístas e orgulhosos para querermos ter e ser aquilo que não temos e não somos e queremos sempre mais e, por vezes, aquilo que não merecemos…

Fico sempre emocionado com as coisas que ganho, mesmo que sejam simples, pois as pessoas só presenteiam a quem amam. O que importa é o sentimento, o gesto e não o presente mais valioso… O que importa é o coração com emoção e não o presentão por aparecer… Saibamos ser gratos, pois é nossa gratidão que vale.

Com um beijo de Jesus, pelos lábios de Maria e no abraço de José pensemos nos ditos que são ditos para não serem mal ditos…

Pe. DelairCuerva,fmdp

OBS: Visite e assista nosso site www.asfabrasil.com e nos ajude a falar mais do amor que os preteridos do mundo precisam e, tal e qual Dom Irineu Danellon diz: “façamos dos preteridos do mundo os preferidos de Deus”.