DÊ LIBERDADE PARA CRIAR E OUSAR


Numa granja uma galinha se destacava dentre todas as outras por sua coragem, espírito de aventura e ousadia. Não tinha limites e andava por onde queria, mas o dono não apreciava essas qualidades.

Um dia fincou um bambu no meio do campo, arrumou um barbante e amarrou a galinha. De repente, o mundo tão amplo que a ave tinha foi reduzido para onde o barbante lhe permitia chegar.

De tanto andar nesse circulo, a grama que era verde foi desaparecendo e ficou somente a terra.

Depois de um tempo o dono se compadeceu da ave, pois ela, que era tão inquieta e audaciosa, havia se tornado uma pacata figura. Então, cortou o barbante que a prendia pelo pé e a deixou solta. Agora estava livre, poderia ir aonde quisesse.

Mas, estranhamente, a galinha, mesmo solta, não ultrapassava o limite que ela própria havia feito. Só ciscava e andava dentro do circulo que criara. Olhava para o lado de fora, mas não tinha coragem suficiente para se “aventurar” e sair do seu espaço. Preferiu ficar do lado conhecido. Com o passar do tempo, envelheceu e ali morreu.

Na empresa e na família, as pressões do dia-a- dia fazem com que, aos poucos, nossos pés fiquem presos a um chão que se torna habitual pela rotina. Sem vida e sem vigor.

Estabeleça regras para você, mas cuidado para não se destituir da capacidade de criar e, principalmente, de ousar.