Cidadão Atrasado e Molhado

É você que acorda todos os dias, ainda com sono e com vontade de ficar um pouco mais na cama que toma um café bem forte e vai trabalhar de ônibus. No ponto já bem cheio, são sete horas da manhã, todos ali olhando pra o lado de onde esse ônibus vem porque está atrasado novamente? Bom, sem muita opção o jeito é esperar mesmo.

O cidadão toma o ônibus lotado, e algumas ruas após a partida para em uma manifestação na rodovia, logo naquele dia, que às oito horas já tinha um cliente marcado, que vida! Com meia hora de atraso, passa pela manifestação com sucesso todos no ônibus comentam, só um som, atrasos, reuniões, coisas assim, como se não fosse o suficiente ainda começa chover muito justo naquele dia. Desce do ônibus suado e toma a chuva abençoada, pensa que isso era necessário e com a falta de água, só assim mesmo pra aliviar a seca que assombra nossas reservas hídricas, se anima com a situação.

Chegando a seu trabalho molhado, atrasado uma hora depois, todo sem jeito seu chefe olha no relógio e com cara de poucos amigos, pede um tempinho para conversar com seu funcionário: que cidadão mais azarado! Ele ali na frente de seu infortúnio já bem inseguro acha que tinha perdido o trabalho ou uma advertência pelo ocorrido, algo enfim muda no seu dia, caro funcionário, você foi promovido! Alegria, surpresa tudo junto, aperta forte a mão de seu chefe e diz que tudo faria para o crescimento daquela companhia. Sua primeira providência era aumentar as vendas e gerar lucro tudo feito e resumido.

Mas sabemos que nem sempre é assim, com um final feliz.

Quantos trabalhadores, que mesmo cansados de pegar um ônibus lotado, de esperar atrasos em rodovias ou ruas da cidade com trânsito, chegam no trabalho mesmo com sol forte ou com chuva e pagam por seus impostos para ter a escassez de um transporte público, a falta de estrutura no trânsito e sem contar se precisar de uma assistência médica eficaz, logo então se ficar horas para ser atendido sem respeito e sem merecimento por ser apenas um simples cidadão como muitos de nós brasileiros.                           

 

Email:rose.nakamura.colunista@outlook.com