CHICO XAVIER (Daniel Filho, 2010 )

Filmes sobre biografias de celebridades e personalidades sempre foram garantia de boa bilheteria nos cinemas mundiais. Haja visto filmes como “Chaplin” ( biografia de Charles Chaplin ), “Ray” ( Biografia do músico Ray Charles ), “Gandhi” ( Biografia do Hindu Mahatma Gandhi ), entre muitos outros.

No Brasil, a questão não é diferente e o filme “Chico Xavier” que retrata a história de vida do médium mineiro já bateu o recorde de bilheterias no cinema nacional.

A película mostra a vida de Francisco Cândido Xavier desde sua infância quando sua mediunidade se manifestou aos quatro anos de idade, passando por sua juventude quando publicou suas primeiras mensagens psicografadas até sua dedicação ao próximo através da Doutrina Espírita que lhe valeu, até mesmo, indicações ao prêmio Nobel da Paz.

Curiosamente o filme foi dirigido por um ateu convicto e o elenco não é, necessariamente, seguidor do Espiritismo, mas a questão é outra. Não é um filme unicamente voltado a doutrina de Allan Kardec. É um filme sobre um seguidor da referida doutrina, uma personalidade que se destacou por seus atos e que fez história no Brasil.

“Chico Xavier” não deve ser visto apenas pelos “espíritas”, nem mesmo apenas para se ver a primorosa atuação de Nelson Xavier que vive o médium em sua fase pública e adulta.

O filme vale a pena ser visto pela mensagem de dedicação e amor que transmite.

Sério. Independentemente de religião, Chico Xavier foi uma pessoa de bem, altruísta que, através de uma determinada doutrina, cumpriu aquilo que Jesus Cristo pediu em seus ensinamentos: Amar ao próximo como a ti mesmo.

Só por isso ou, principalmente por isso, o filme deve se tornar um dos mais rentáveis do cinema brasileiro. Vale a pena conferir.

Érika Svícero Martins França
Jornalista – MTB 28.063
Assistente Administrativo Câmara Municipal de Botucatu