União ACIB/CDL tem novo presidente para o próximo biênio

A Associação Comercial e Industrial de Botucatu e Câmara de Dirigentes Lojistas, união ACIB/CDL, tem um novo presidente para o próximo biênio (2013/2014). A partir do dia 1º de abril assume a entidade o empresário Rogério Peres. Ele foi escolhido pelos empresários do comércio da Cidade que acreditaram em suas propostas de mudanças que objetivam dar uma nova dinâmica e visibilidade ? entidade.

Peres adianta que nesse início de mandato irá buscar o diálogo com os lojistas para conhecer as necessidades de cada um. “Nossa idéia é realizar reuniões para buscar alternativas que sejam de interesse dos comerciantes e também dos consumidores, pois um necessita do outro. Também iremos promover renovação na entidade, trazendo algumas pessoas com idéias novas para nos ajudar a cumprir as metas de gestão que traçamos”, frisou o presidente.

Um dos planos de gestão a ser implantada a partir de 1º de abril é promover campanhas em datas específicas do ano. “Várias são as datas comemorativas do ano que podem ser exploradas, como Dia das Mães, Dias dos Pais, Dia da Criança, Natal, entre outras. Realizando campanhas e promoções poderemos fazer com que os consumidores invistam em Botucatu e sejam incentivados a não viajarem para fazer suas compras em outras cidades”, disse o presidente.

Ele enfatiza que para colocar seus planos de gestão em ação será necessário o engajamento dos comerciantes. “Por isso, nossa intenção é dialogar com cada um e ouvir suas críticas e sugestões. Conversando, a gente chega a um entendimento que seja viável, pois nossa intenção é buscar consenso entre a entidade, comerciante e consumidor”, frisa o presidente eleito.

Peres também adiantou que não deverá encontrar problemas de relacionamento com outras instituições ligadas ao comércio da Cidade, como o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio Varejista de Botucatu (Sincovab) presidido por Carlos Negrisoli e Sindicato do Comércio (Sincomercio), administrado por Fátima Baldini.

“Conheço os presidentes dessas duas entidades e sei que são abertos ao diálogo. Não vejo problema nenhum de relacionamento, muito pelo contrário. Cada uma dessas instituições tem seus direitos e deveres, segue os seus respectivos estatutos e presta contas aos seus associados”, apontou Peres. “O importante é que sempre prevaleça o bom senso”, concluiu.

Foto: Valéria Cuter