TV Alpha acusa Embraer de cercear seu trabalho

Nessa segunda-feira (4) foi inaugurada, oficialmente, a Escola Modelo da Embraer que contou com a presença de autoridades ligadas a diferentes segmentos sociais de Botucatu, região e imprensa. A polêmica foi com relação a denúncia da TV Alpha de Botucatu que alegou que teve o trabalho cerceado e foi proibida de entrar na empresa para realizar a cobertura do evento.

O repórter da emissora, o ex-vereador Abelardo diz que a proibição de sua entrada aconteceu em discriminação por ser ex-funcionário e ganhado na Justiça uma demanda contra a empresa que teve que fazer o ressarcimento financeiro. Garante que foi dele, quando vereador na gestão passada, a ideia de trazer a escola da Embraer para Botucatu, com ofício assinado pela unanimidade dos vereadores, que foi encaminhado ? diretoria da empresa e envolveu várias autoridades.

“Fiquei muito chateado com essa atitude da empresa, onde trabalhei por vários anos. Tivemos um problema, que foi resolvido na Justiça ao meu favor, mas isso não era motivo para proibir a minha entrada. Eu estava no local para fazer a cobertura do evento para a TV Alpha onde tenho um programa semanal e queria mostrar ? população essa importante conquista. Infelizmente, tive que fazer minhas entrevistas do lado de fora da empresa. Foi lamentável”, reclamou o ex-vereador.

O diretor responsável pela TV Alpha de Botucatu, Fernando Bruder, repudiou a atitude da empresa que impediu que a televisão fizesse a cobertura do evento. Diz que embora a empresa tenha tido problemas pessoais com o repórter, ele não poderia ter sido, literalmente, barrado na portaria, pois estava representando uma mídia televisiva e quando vereador teve importante papel na instalação da escola em nossa Cidade.

“Infelizmente isso aconteceu e as entrevistas com autoridades foram feitas do lado de fora da empresa. Mesmo assim não mudaremos a pauta, previamente, agendada e iremos colocar o programa no ar na próxima segunda-feira, nos desculpando, antecipadamente, pelo cenário das imagens que só puderam ser feitas do lado de fora da Embraer”, criticou Bruder.

A Embraer através da assessoria de imprensa de sua matriz de São José dos Campos, a quem a unidade de Botucatu é subordinada esclareceu que “o evento realizado para inauguração do Colégio Embraer – Casimiro Montenegro Filho não era aberto ao público em geral, razão pela qual havia controle de entrada. Por razões de segurança, o evento foi restrito a autoridades, convidados e membros da imprensa que tivessem confirmado presença até a véspera do evento.