Três empresas disputam obra de nova rotatória da cidade

Complexo será construído nas proximidades do recinto JVC, que disciplinará o trânsito e o acesso para bairros em expansão como a Vila Assumpção e Vila São Benedito 

 

A Comissão Permanente de Licitações (Copel) da Prefeitura de Botucatu realizou a sessão de abertura dos envelopes com a documentação das empresas interessadas em participar do processo licitatório para construção de rotatória e pórtico na confluência da Avenida Pedretti Neto com a Rua Emílio Cani, nas proximidades do Recinto JVC, principal entrada da idade.

Manifestaram interesse na execução da obra as empresas Semam Terraplenagem e Pavimentação Ltda., H. Aidar Pavimentação e Obras Ltda. e Ricardo Tortorella Pavimentação EPP. Em razão dos representantes terem apontado situações em que as concorrentes supostamente não atenderiam as determinações do edital, o presidente da Comissão decidiu suspender a sessão para análise das manifestações e da documentação apresentada. Só depois desse levantamento serão anunciadas as empresas habilitadas para participarem da sessão onde serão conhecidas as propostas. 

 

Investimento

Conforme anunciado no final do mês de outubro, durante a cerimônia de apresentação do projeto de construção da unidade do Supermercado Confiança em Botucatu, acontecerá uma grande mudança na principal entrada da Cidade. Uma grande rotatória será construída nas proximidades do recinto JVC, que disciplinará o trânsito e o acesso para bairros em expansão como a Vila Assumpção, Cecap e Vila São Benedito. 

A Rua Emílio Cani será alargada, bem como o trecho da Castelinho na entrada da Cidade, que ganhará terceira pista em ambos os lados. As obras garantirão acesso mais rápido e seguro a equipamentos importantes como a Incubadora de Empresas, a UNIT (Universidade do Trabalhador), o futuro Hospital da Unimed e, principalmente, ao Pronto Socorro Municipal. 

Está prevista ainda a construção de um monumento com estrutura metálica em aço, além de chafariz e espelho d´água. O projeto, de autoria de Carlos Bratke (filho do conceituado arquiteto botucatuense Oswaldo Bratke). A obra está avaliada em R$ 837.568,93. O prazo de execução é de 120 dias a partir da assinatura de contrato com a empresa vencedora da licitação.