Termina a greve dos funcionários da Sabesp

Na tarde desta terça-feira, os funcionários da Sabesp decidiram interromper a greve geral deflagrada no último dia 30 de abril (sexta-feira da semana passada) em todo Estado de São Paulo e retornaram ? s atividades na manhã desta quarta-feira. A adesão ? greve estava em torno de 70% dos trabalhadores, segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente do Estado de SP (Sintaema),

O diretor do Sintaema, Paulo Henrique Cassiano, o Paulinho revelou que a greve foi deflagrada em razão da Sabesp não cumprir o acordo feito com os funcionários no que diz respeito ? Participação de Lucros e Resultados (PLR) de 2009. A empresa, segundo ele, teve um lucro líquido de R$ 1,4 bilhão e os trabalhadores têm direito ? PLR na totalidade, já que ela não alcançaria esse montante sem o empenho e dedicação de seu quadro funcional.

“A Sabesp distribuiu os holerites dos funcionários, com 47% a menos do que eles teriam que receber e não cumpriu o que foi acordado no ano passado”, conta, assegurando que e a supressão dos adicionais resultou na redução de pelo menos R$ 6,5 milhões do montante que a Sabesp deveria repassar aos funcionários.

O fim da greve foi definido em uma reunião entre o Sintaema e direção da Sabesp, em São Paulo, onde ficou acertado um pagamento adicional do Programa de Participação nos Resultados 2009 (PPR 2009). Através desse acordo firmado com o sindicato a estatal se comprometeu a conceder um aumento de 6,4 % no porcentual médio pago da PPR, passando de 65,1% 71,54%. Outro detalhe acordado nessa reunião é que a Sabesp não descontará os dias parados.

Em Botucatu, durante a paralisação, somente os serviços essenciais e emergenciais permaneceram operando e em razão disso, o movimento não comprometeu o abastecimento de água e manutenção da Rede. A informação foi passada pelo próprio diretor da estatal, Arthur Bronzatto, ao jornal Acontece.

Um dos motivos que aceleram o acordo entre as duas partes foi um blecaute ocorrido ontem, em São Paulo, que resultou em problemas no abastecimento de água. “Uma situação atípica como esta aumenta o número de chamadas e atendimentos”, disse o Sintaema, alegando que a categoria aprovou o estado de assembléia permanente, caso o acordo seja descumprido. A Sabesp preferiu não se manifestar sobre o assunto.

Foto: Fernando Ribeiro