Sindicato garante que servidores da prefeitura entram em greve

“Posso dizer que agora a greve é inevitável”, foi o comentário do presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Botucatu, José Manoel Leme, sobre o resultado de uma assembléia realizada na parte superior da Praça Comendador Emilio Peduti, – Bosque, por volta das 19 hora desta segunda-feira.

A assembléia foi realizada em razão de não haver um acordo entre os servidores e Prefeitura Municipal sobre reajuste dos salários. A prefeitura encaminhou um projeto de Lei ? Câmara Municipal determinando o reajuste em 6%. Porém, além dos 6%, os servidores pleiteiam um reajuste também no vale compras que, atualmente, é de R$ 300,00.

“Como não houve acordo a greve foi decretada. Agora, por força de lei temos que fazer a comunicação ? Prefeitura e Câmara Municipal, avisando que a greve se inicia em

{bimg:4538:alt=a7:bimg}

72 horas. Como teremos um feriado no meio da semana, o início da greve será na próxima segunda-feira (7 de junho). Até lá vamos ainda tentar um acordo para melhorar essa proposta da prefeitura”, disse Mané Leme.

Ele revela que embora os vereadores tenham aprovado o projeto que reajusta os salários em 6¨%, nada impede que as negociações continuem, antes que os servidores iniciem a paralisação. “Em assembléia foi decidido que não faríamos nenhuma manifestação contra a aprovação desse projeto, pois temos que segurar esse 6%, mas não estamos satisfeitos e vamos continuar as negociações. Se o reajuste ficar nesses 6%, não tenha dúvida de que a greve irá acontecer”, assegurou o sindicalista.

Como o prefeito João Cury Neto lamenta não ter havido o acordo e alegou que o reajuste de 6% está

{bimg:4539:alt=a8:bimg}

acima da inflação do período, nenhuma novidade deverá acontecer e as negociações não deverão evoluir e os servidores, durante esta semana, deverão decidir se irão aderir a greve na próxima segunda-feira.

“No nosso governo o reajuste será igual ou maior do que a inflação do período. O reajuste de 6% está acima da inflação e chegamos ao nosso limite máximo. Entendemos que os servidores devem pleitear melhores salários, mas não podemos comprometer o orçamento dos serviços essenciais da Prefeitura”, colocou o prefeito.

Depois de participar da assembléia no Bosque, os servidores acompanharam a sessão da Câmara Municipal, onde acompanharam os vereadores aprovarem a propositura de maneira unânime (foto). Com a aprovação do projeto de lei que reajusta os salários em 6%, os servidores deverão aguardar posicionamento do sindicato sobre a paralisação na próxima segunda-feira.

Fotos: Fernando Ribeiro