Sabesp investirá R$ 5 milhões na região do Rio Bonito

O prefeito João Cury Neto conquistou mais uma grande obra para Botucatu, durante audiência com a diretora-presidente da Sabesp, Dilma Pena, o diretor de Sistemas Regionais da Companhia, Luiz Paulo de Almeida Neto e o superintendente da Unidade de Negócio Médio Tietê, Mario Eduardo Pardini Affonseca, realizada na tarde de segunda-feira (7), em São Paulo. A implantação do sistema de esgotamento sanitário do Rio Bonito, Mina e Alvorada da Barra, sonhada há décadas por moradores e proprietários de ranchos desses bairros, finalmente vai virar realidade.

O Contrato de Programa assinado entre a Sabesp e a Prefeitura de Botucatu, em junho de 2010, estabelece investimentos de R$ 102,9 milhões para o município no período de 30 anos. Pelo cronograma inicial, a obra de implantação do sistema de esgoto na região do Rio Bonito estava prevista para ter início apenas em 2016. A expansão vertiginosa dos bairros a serem beneficiados motivou o prefeito a negociar a antecipação de prazo para sua execução.

“Levamos uma série de justificativas que demonstram a importância de realizar essa obra agora e a Dra. Dilma foi muito sensível, levando em conta inclusive os números que Botucatu tem apresentado na área de saneamento. Saimos das últimas colocações no índice de abastecimento de água para a ser a primeira do estado de São Paulo. Isso nos dá capacidade para demonstrar que os recursos aqui investidos pela Sabesp, em parceria com a prefeitura, têm dado muito retorno para a empresa. Com esse condição conseguimos a liberação de mais de R$ 5 milhões para executar as obras do sistema de esgotamento sanitário do Rio Bonito, Mina e Porto Said”, comemora o prefeito.

Apesar da rede já ter sido implantada há mais de quinze anos, o sistema nunca funcionou. “Agora implantaremos uma rede nova que será muito importante para o desenvolvimento daquela região. Por maior que seja o potencial turístico e de lazer, não adianta falar em investimento no Rio Bonito, na Mina, se não houver o mínimo de infra-estrutura nesses locais. A chegada da rede de esgoto permitirá que seja traçado um plano de ocupação voltado ao desenvolvimento desses balneários”, pondera Cury.

A partir dessa semana, o prefeito e sua equipe, em parceria com técnicos da Sabesp, começam a trabalhar no desenvolvimento do projeto, que inclui etapas importantes que incluem concepção, projeto básico, topografia, projeto executivo e a execução propriamente dita. Outro trabalho essencial e que deverá ser bastante complexo é de obtenção do licenciamento ambiental.

“Teremos que trabalhar de mãos dadas com os órgãos ambientais que emitem licença, com a concessionária AES Tietê e os moradores que terão que autorizar a servidão de passagem de toda parte de tubulação. Vamos envolver a Secretaria de Descentralização e Participação Comunitária que ao lado da Associação de Moradores terá papel importante no sentido de sensibilizar a comunidade para a importância de contribuir para agilizar a execução da obra. Quero agradecer a Sabesp, em nome do nosso superintendente Pardini, que desde o começo lutou conosco essa luta. Agora é mãos a obra”, salienta o prefeito.

A primeira reunião técnica está marcada para a próxima sexta-feira, na sede da superintendência da Sabesp, em Botucatu. A previsão é que entre concepção e entrega a obra aconteça no prazo de 24 meses.