Região da Cecap terá quase 1km de galerias

Galerias são infraestruturas fundamentais para que a água das chuvas não deteriore com mais facilidade o asfalto, invada residências, e muito menos traga transtornos a pedestres e motoristas. É obra, que quando concluída, ninguém vê. Mas o aposentado Etelvino Franco de Camargo, 65 anos, com certeza irá lembrar muito bem o que está sendo feito em frente ? casa dele, na Rua Joaquim Barreiros, entre as Vilas Nogueira e Santa Luzia, região da Cecap de Botucatu.

No local estão sendo construídos 977 metros lineares de galerias de concreto para águas pluviais, com tubulações de 0,60cm, 0,80cm e 1m de diâmetro, além de 21 bocas de lobo e mais 30 caixas de ligação. O serviço licitado pela Prefeitura de Botucatu está sendo executado desde a primeira quinzena de agosto passado pela empresa Fortpav Pavimentação e Serviços LTDA, vencedora do certame ao valor de R$ 299.700,00. A obra beneficia ainda trechos das ruas Salim Kahil, Carlino de Oliveira e Dr. Costa Leite. Ela deverá ser concluída até dezembro.

Apesar do barulho das máquinas rasgando o asfalto, seu Etelvino garante que a obra não é um transtorno. “Moro há 35 anos aqui na Joaquim Barreiros e o problema era sempre o mesmo. A água da chuva que desce a rua vem muito forte, subia na calçada e chegava até no portão. Quando a enxurrada era muito forte, e o carro ficava na rua, fazia ele balançar. A sensação é que a chuva ia levar meu carro. Agora vai ficar bom”, afirma.
Esta é a primeira etapa de microdrenagem idealizado para a região da Cecap. A Secretaria Municipal de Planejamento já tem projetado a extensão de galerias na Rua Dr. Costa Leite e também na Rua Nicola Zapponi e Avenida Pedretti Neto.

“Além de beneficiar os moradores, prevenindo enchentes, esta obra protege a nascente do Tanquinho. Está sendo feita toda uma estrutura para conduzir a água e diminuir o impacto dela no ribeirão. Por anos essa região carecia de um sistema de drenagem para que não acontecesse o que aconteceu na Salim Kahil, onde por causa do grande volume de chuva no último verão, uma erosão destruiu parte da rua e ameaçava quem passava por ali”, lembra o secretário municipal de Planejamento, Caco Colenci.