Protesto em Botucatu reúne milhares de manifestantes

Fotos: Valéria Cuter

Botucatu viveu momentos na noite desta quinta-feira (20) que ficarão marcados para sempre em sua história, com o manifesto público denominado “Ato nacional em defesa ao transporte público ou “Movimento Passe Livre” (MPL), contra o preço das tarifas, corrupção e cobrando mais investimento em áreas específicas como Saúde, Segurança, Trabalho e Educação. A adesão alcançou cerca de oito mil pessoas. Convocação foi feita por intermédio do facebook.

A concentração aconteceu na Praça Praça Emílio Peduti (Bosque) a partir das 19 horas e os manifestantes seguiram pela Rua Amando de Barros até a Praça Coronel Moura (Paratodos) com as caras pintadas, narizes de palhaços, cartazes, faixas, apitaço, cantando e gritando palavras de ordem.

Durante o trajeto a passeata foi ganhando corpo recebendo mais adesões subindo até a Praça Pedro Torres onde os manifestantes se concentraram em frente ao prédio da Prefeitura Municipal e uma comissão entregou uma carta ? assessoria do prefeito João Cury Neto, que está viajando. Nessa carta havia uma série de reivindicações em diferentes áreas.

“Apesar do grande número de pessoas podemos considerar que tivemos uma manifestação tranquila e nenhum caso de maior gravidade foi registrado. Com viaturas e homens em pontos estratégicos acompanhamos todo o movimento para evitar excessos”, colocou o comandante da 1ª Companhia da Polícia Militar, capitão José Semensati.

Também a Guarda Civil Municipal (GCM), marcou presença e acompanhou a manifestação. “No geral, tudo transcorreu dentro da normalidade. Sempre tem um ou outro que se excede mais que os outros, como foi o caso de três adolescentes em frente a Prefeitura que foram detidos, mas não tivemos registro de atos graves de vandalismo ou violência”, destacou o comandante Sérgio Bavia.

Os estudantes que estiveram ? frente do movimento comemoraram a adesão do movimento. “A população de Botucatu atendeu ao clamor popular e compareceu em massa ao protesto para mostrar sua indignação. O mais importante é que a manifestação foi tranquila, mostrando que ninguém veio aqui para fazer baderna e sim mostrar sua insatisfação com o que está acontecendo no Brasil”, comentou Felipe Camargo não descartando a possibilidade de que outras manifestações sejam realizadas.