Projetos para piscinões devem ser concluídos em 30 dias

A Prefeitura de Botucatu está muito perto de iniciar as obras de construção das cinco barragens (popularmente conhecidas como “piscinões”) para amortecimento das águas de chuvas. O projeto desenvolvido pelo Município é financiado com recursos a fundo perdido do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) do Governo Federal. O convênio assinado tem valor total de R$ 39.807.839,44.

No mês de dezembro, a empresa contratada pela Prefeitura entregou o último lote de projetos executivos que estão em fase de análise pela Secretaria Municipal de Planejamento. À medida que os projetos recebem aprovação são remetidos para a Caixa Econômica Federal (CEF) para validação. Os referentes aos piscinões que serão construídos nas bacias dos ribeirões Lavapés (foto) e Cascata já foram aprovados.

Restam para ser analisados os projetos dos piscinões dos córregos do Tenente, Antártica e Água Fria. A previsão é que sejam finalizados e enviados para apreciação da Caixa, no máximo, em 30 dias. Feito isso, o município aguardará apenas o sinal verde para abertura da licitação que contratará a empresa responsável pela execução das obras. 

Ao mesmo tempo, a Prefeitura trabalha nos processos de desapropriação das áreas que serão atingidas pelos futuros piscinões. Já foram concluídas e pagas as ações referentes aos córregos Lavapés (R$ 133 mil) e Cascata (R$ 2,1 milhões). As desapropriações referentes aos imóveis das regiões dos córregos do Tenente, Antártica e Água Fria estão em andamento. 

 

Importância

O projeto que começou a ser elaborado no início do primeiro mandato do prefeito João Cury tem como finalidade amortizar as águas das chuvas, evitando alagamentos em pontos que há anos são considerados críticos. As barragens contarão com comportas para regular a vazão das águas e serão construídas em regiões estratégicas. 

Os piscinões deverão ser construídos junto aos córregos Lavapés (área ao lado da Rodovia Gastão Dal Farra); Água Fria (área localizada na bifurcação entre as ruas Joaquim Marins e da Amizade, região do bairro Recanto Azul); Cascata (terreno ao lado do Residencial Spazio Verde, defronte à Rodovia Marechal Rondon); Antártica (área defronte ao final da Rua 1º de Maio); e Tenente (próximo ao Conjunto Habitacional Amando de Barros Sobrinho, na região da Vila Cidade Jardim).

O reservatório do Córrego da Água Fria, por exemplo, beneficiará toda a baixada próxima ao Terminal Rodoviário, que sofre com enchentes em dias de chuva forte. Já a do Córrego do Tenente ajudará a drenar toda a água que desce da região do Asilo e se acumula na Rua Independência. A proposta é que o entorno dos locais que abrigarão essas barragens seja revitalizado com a construção de um parque linear, que receberá equipamentos voltados à recreação e ao lazer da população.

De acordo com o convênio, 2% do total dos recursos repassados pelo Governo Federal serão destinados à conscientização ambiental e do impacto da obra junto à comunidade que irá morar no entorno dos futuros reservatórios.