Presidente nega estar usando CDL para se promover

Alguns comerciantes da Cidade estão se manifestando contra o atual presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) de Botucatu, Rogério Luiz Peres. Segundo apontam esses comerciantes Peres estaria usando o cargo para se auto-promover e preparando sua candidatura para a presidência da Associação Atlética Botucatuense (AAB) e a vereador da Câmara Municipal.

“Na verdade ele está usando a CDL para sua promoção pessoal e age como se fosse o único nome da entidade. É só observar o último informativo (jornal) da entidade, onde ele aparece em quase todas as páginas. Parece que aquilo foi feito, exclusivamente, para ele”, disse um conhecido comerciante da Rua Amando de Barros e também integrante da diretoria do CDL.

O comerciante também criticou a campanha de Natal que foi feita na Cidade para movimentar as vendas com a ajuda dos lojistas, mas que, segundo ele, teve a participação de apenas 30% dos comerciantes. “Do jeito que fala, parece que houve 100% de adesão do comércio, o que não é verdade. Perguntem aos lojistas. Ainda declarou numa recente entrevista a uma rádio que tenho gravada que apenas uma minoria dos diretores trabalha. O que é isso? Precisamos mudar esse conceito do “só eu sou, só eu sei, só eu faço”. Tem um grupo de comerciantes que está se movimentando contra isso”, afirmou.

Contatado sobre o assunto, Peres se defende alegando que não está se auto promovendo, nem é sua intenção concorrer a nenhum cargo na cidade, usando a prerrogativa de presidente do CDL. “Tenho convites de sócios para concorrer a presidência da AAB, assim como para concorrer ao cargo de vereador e uma reeleição aqui na CDL, mas não decidi nada ainda. O que posso adiantar é que a partir de janeiro assumo a presidência da Associação dos Corredores de Botucatu (Acob). Quando assumi a CDL mandei embora gente que estava lá há mais de 20 anos e queria mandar mais do que o presidente. Renovei o grupo, contratei uma agência de comunicação, reformei e informatizei os departamentos da CDL e em 2014 vamos fazer o projeto da revitalização da Rua Amando de Barros”, previu.

Por outro lado ele afirma que a grande maioria dos diretores do CDL da atual diretoria não é atuante. “Dos 30 diretores da entidade apenas 08 trabalham, se muito. É uma verdade. Se a gente não for atrás das coisas nada acontece. Já me falaram que fiz mais em seis meses do que os outros três presidentes que me antecederam fizeram juntos em suas gestões. Por isso, estou em evidencia”, realça.

Ele também é criticado por um informativo da CDL onde aparece em várias páginas. “Isso acontece porque os diretores não vão aos eventos que a CDL promove. Na entrega de flores no Dia das Mães, sabe quantos diretores estiveram presentes? Só eu e três funcionários do CDL. Então eu tinha que aparecer mesmo. Se os outros estivessem lá também seriam fotografados e estariam na reportagem”, explica.

Sobre a campanha de Natal feita, recentemente, na Cidade ele é taxativo. “Eu quem fui atrás de patrocinadores e Prefeitura para fazer a campanha e a CDL não deve nada. Tudo está pago. Temos 600 associados e 150 estiveram conosco na campanha, mas devemos levar em consideração que muitos filiados como farmácias e escritórios de advocacia, não puderam participar por força de lei. Distribuímos 400 mil cupons e o sorteio será feito em praça pública”, enfatiza.