Preservação de praças poderá ter lei específica

Praças Públicas sem sujeira e bem aproveitadas. Esse é o pedido dos 11 vereadores da Câmara Municipal de Botucatu que apresentaram um requerimento coletivo em sessão do Poder Legislativo, solicitando ao Poder Executivo, encaminhar ? Casa de Leis, legislação que defina o uso correto das praças públicas de nossa cidade.

Os vereadores querem praças sem utilização de bebidas e drogas, impondo limites e também dando amplos poderes ? Guarda Civil Municipal (GCM) para fiscalizar as áreas públicas através dessa legislação. Assunto veio ? tona uma vez que todos os vereadores estão recebendo reclamações sobre o excesso de som alto e bebidas ingeridas em diferentes praças da cidade.

De acordo com os parlamentares, há noites em que mais de 200 pessoas se aglomeram nessas praças deixando rastros, no dia seguinte, de quebradeira do equipamento público, assim como excesso de todo tipo de sujeira como garrafas de bebida, preservativos, invólucros de material onde são trazidas drogas como crack e cocaína.

Além disso, a população vizinha ? s praças públicas de Botucatu está tendo que mudar dos quartos da frente das casas para o fundo dos imóveis para poderem ter condições de descansar para trabalhar no dia seguinte, tamanha a bagunça e descontrole desses locais.

{n}Secretário{/n}

O secretário municipal de Meio Ambiente Perseu Mariani ressalta que uma das suas grandes preocupações é buscar ações que visem conscientizar o cidadão a não degradar o ambiente, conservar e preservar os equipamentos que foram instalados e fomentar a mobilização dos agentes comunitários a disciplinar a participação popular nestes espaços.

Enfoca que, além de proporcionar lazer e entretenimento ? comunidade, a intenção é, também, valorizar os fatores históricos destes patrimônios públicos. “O objetivo é garantir o envolvimento da comunidade, das organizações sociais através de seus agentes comunitários a propor ações de conscientização e preservação ambiental fazendo uso da coleta seletiva nestes espaços e promoção das entidades e instituições parceiras, grupos artísticos, culturais, esportivos e comunitários bem como as lideranças para fortalecer o pleno funcionamento das atividades nas praças”, apontou.