Prefeitura lança programa para qualificar jovens do Tiro de Guerra para o mercado de trabalho

 

19330Com a sala de instrução do Tiro de Guerra lotada, a Prefeitura de Botucatu, através da Secretaria Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação lançou na manhã desta terça-feira (16) o Programa Tiro Certo. A iniciativa tem o objetivo de oferecer aos atiradores, no período em que prestam o serviço militar, a oportunidade de passarem por oficinas e cursos profissionalizantes que possam prepará-los para ingressar no mercado de trabalho.

A ação será coordenada pela UNITE (Universidade do Trabalhador e do Empreendedor) e contará com parceria do Cebrac (Centro Brasileiro de Cursos). Participaram da aula inaugural o prefeito João Cury Neto; o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Carlos Alberto Costa; os diretores do Cebrac, Jefferson Vendrametto e Luciane Cristina Somera. Todos foram recepcionados pelo Chefe da Instrução do Tiro de Guerra, Sargento Gilberto Gomes de Miranda.

O programa prevê que os atiradores terão prioridade de inscrição em alguns cursos profissionalizantes ofertados pela UNITE. E também poderão participar de oficinas voltadas ao desenvolvimento profissional, abordando diversos temas como preparação para entrevista de emprego, empreendedorismo, ética, pró-atividade, entre outros. A proposta é complementar todo treinamento e capacitação que o Tiro de Guerra já oferece aos jovens e habilitá-los para disputar vagas no mercado de trabalho após a conclusão do serviço militar.

“Na última matrícula já demos preferência para vinte atiradores. Nós tentaremos usar esse tempo em que o jovem serve o Exército para complementar sua capacitação profissional. A carga horária dependerá da disponibilidade de cada um e do curso que escolherem. Teremos, nesta parceria com o Cebrac, desde oficinas curtas de comportamento de oito horas até cursos de 140 horas”, informa o secretário Carlos Costa.

Segundo ele, o programa Tiro Certo será mais uma oportunidade que a UNITE terá para se aproximar ainda mais do público jovem. A instituição também realiza com sucesso o Programa de Empreendedorismo na Escola que atende cerca de 3 mil alunos de 12 unidades escolares de ensino médio.

De acordo com o Sargento Gilberto, a intenção do Tiro de Guerra, além de formar melhores seres humanos para a sociedade, é dar oportunidade de aperfeiçoamento para o mercado de trabalho. “A maioria é inexperiente, mas já tem um referencial de certos valores que são esquecidos pela sociedade. O trabalho que realizamos aqui, somado a essa ação da Prefeitura, com participação do Cebrac, nos permitirão aprimorar um trabalho técnico que deve ampliar a porta de acesso ao mercado de trabalho. Queremos mostrar que o Tiro de Guerra também busca aprimorar tecnicamente nossos jovens”, afirma.

O diretor do Cebrac, Jefferson Vendrametto, considera o novo programa uma grande oportunidade para que os atiradores se qualifiquem para seu futuro profissional. “A qualificação é fundamental. E quando falamos do jovem sentimos essa necessidade. É fundamental que eles aprendam não apenas um conceito técnico. O que o Tiro de Guerra traz de comportamental é essencial para as empresas hoje. Vamos poder lapidar esses jovens para que eles tenham as oportunidades no mercado de trabalho. Queremos quebrar a barreira da falta de experiência, do primeiro emprego, para que as coisas aconteçam de forma mais clara e mais rápida para o jovem que vai sair do Tiro de Guerra.

De acordo com o Sargento Gilberto, a intenção do Tiro de Guerra, além de formar melhores seres humanos para a sociedade, é dar oportunidade de aperfeiçoamento para o mercado de trabalho. “A maioria é inexperiente, mas já tem um referencial de certos valores que são esquecidos pela sociedade. O trabalho que realizamos aqui, somado a essa ação da Prefeitura, com participação do Cebrac, nos permitirão aprimorar um trabalho técnico que deve ampliar a porta de acesso ao mercado de trabalho. Queremos mostrar que o Tiro de Guerra também busca aprimorar tecnicamente nossos jovens”, afirma.

Ao conversar com os atiradores, o prefeito João Cury disse que a Prefeitura vive uma verdadeira cruzada pelo emprego. E o público jovem merece uma atenção especial e um apoio maior em razão das dificuldades que enfrenta.

“A sociedade cobra experiência da juventude mas ninguém dá a primeira oportunidade. Os atiradores de Botucatu passam por esse drama. Em tese eles já poderiam ingressar no mercado de trabalho mas quando são chamados a servir as empresas não os contratam. Eles são castigados duas vezes: por serem jovens e por serem atiradores. A gente está tentando romper com essa barreira oferecendo cursos de qualificação profissional para que estejam aptos a ingressar no mercado de trabalho. Há um arcabouço de ações que estão sendo desenvolvidas para formá-los bem, além da formação do Tiro de Guerra que ensina hierarquia, disciplina, noções de civismo, de relacionamento interpessoal. Vamos lapidar esse jovem. E temos conversado com as empresas para que elas tenham um olhar especial para eles que têm uma formação diferenciada. Eles são a melhor mão de obra disponível em razão da formação mais holística e abrangente que o Tiro de Guerra oferece. Minha impressão é que em pouco tempo teremos uma mudança de mentalidade do mercado e comportamental por parte dos jovens em busca do emprego”, enfatiza.