Prefeitura entrega 1º trecho da ciclovia

ciclovia-entrega-das-obras-da-1a-etapa-na-avenida-universitaria-foto-igor-medeiros-175O frio na noite da última sexta-feira (30 de setembro) não espantou grupos de ciclistas da Cidade que fizeram questão de prestigiar a entrega do primeiro trecho da Ciclovia Municipal – “Pedro Luís Malheiro Sansão – Pedrinho Sansão”, promovida pela Prefeitura de Botucatu. O evento foi acompanhado pelo prefeito de Botucatu, João Cury Neto; secretários municipais e familiares do homenageado.

O primeiro trecho da Ciclovia Municipal tem uma extensão de pouco mais de 1,5 km e largura de 2,5m. Ele acompanha a Avenida Universitária, com início na nova portaria do campus da Fazenda Lageado/Unesp que está em construção, até o cruzamento com a Rua Lourenço Castanho, entre o Jardim Flamboyant e Jardim Mirante, região norte.

O projeto com um todo prevê a construção de 8 km de ciclovia até a entrada do campus de Rubião Júnior/Unesp. Trata-se de um investimento superior a R$ 3,7 milhões, recursos viabilizados através de uma operação de crédito contraída pelo município junto a Desenvolve SP, agência de fomento do Governo do Estado.

Novo conceito

ciclovia-entrega-das-obras-da-1a-etapa-na-avenida-universitaria-foto-igor-medeiros-177A ideia é que a ciclovia de Botucatu seja um grande parque linear com opções de lazer para a comunidade. Ao longo do percurso serão seis estações de lazer com iluminação, pontos de hidratação, bancos, academia ao ar livre e playground. Uma delas faz parte deste primeiro trecho entregue.

Outro destaque da ciclovia é seu projeto de iluminação. O primeiro trecho conta com 106 postes, com lâmpadas de super LED [cor branca]. Cada uma delas tem 44 watts de potência. Têm baixíssimo consumo e são mais eficientes. A vida útil deste tipo de iluminação é de 50 mil horas.

“Isso quer dizer que essas lâmpadas, ficando acesas de 8 a 10 horas por noite, podem durar até 10 anos. O consumo de todo este trecho chega a ser menor do que um chuveiro elétrico”, compara Carlos Rodrigues, engenheiro eletricista da Secretaria de Planejamento, que assina o projeto de iluminação da ciclovia.

O secretário municipal de Obras, Engº Rafael Athanazio, agradeceu o apoio de confiança do prefeito João Cury, mas principalmente da própria população. “Tivemos que ouvir todas as criticas, analisar todas elas, e nos perguntar: vai melhorar a vida da população? Gosto de pedalar e é legal ver uma ciclovia desse nível. Teve gente que me parou na rua e afirmou ter visto uma ciclovia igual somente fora do Brasil. Então pra mim é uma honra fazer parte de uma obra que vai entrar para a história de nossa Cidade”, afirma.

Anel cicloviário

ciclovia-entrega-das-obras-da-1a-etapa-na-avenida-universitaria-foto-igor-medeiros-176Em seu discurso, o prefeito João Cury se emocionou ao lembrar-se de Pedrinho Sansão, amigo de infância e botucatuense sempre envolvido com o esporte e o turismo. Também aproveitou para esclarecer que este primeiro trecho faz parte de um grande e ambicioso projeto para o futuro de Botucatu.

“No início as pessoas não compreenderam bem o projeto. Não bastava só fazer uma faixa. Queríamos criar um conceito para que as próximas administrações possam seguir inserido numa ideia de parque linear para que aqui possa ser um espaço de convivência da população. Não apenas mais uma opção de lazer, mas também para que seja um novo modal de transporte, incentivando que as pessoas usem mais a bicicleta, deixando o carro em casa”, esclarece.

O projeto o qual o prefeito se refere é de um grande anel cicloviário, com início na região sul da Cidade, próximo à Fatec (Faculdade de Tecnologia). A ideia é que a ciclovia passe pela Rodovia Gastão dal Farra, que está em obras de duplicação; Centro da Cidade (ruas General Telles ou Curuzu) e chegue até a área do complexo da Estação Ferroviária, que será reurbanizada.

ciclovia-rua-jose-barbosa-de-barros-foto-igor-medeiros-5Na sequência o ciclista poderá seguir pela Rua José Barbosa de Barros, onde a Secretaria de Obras já trabalha na construção de mais um trecho da ciclovia na faixa central, entre as pistas de rolamento e protegido por guarda-corpos. Ele se estenderá das proximidades da entrada atual da Fazenda Lageado até o antigo viradouro de trem. Neste mesmo trecho já foi providenciada o reforço da iluminação pública. Os serviços incluem ainda recape completo da José Barbosa de Barros e serão concluídos neste ano.

Já dentro do campus da Fazenda Lageado será feita uma ciclofaixa que será interligada ao primeiro trecho já entregue na Avenida Universitária. As obras dos demais trechos seguem a todo vapor e passam por ruas de bairros como Vila Nova Botucatu e Vila Paulista até chegar a Avenida Deputado Dante Delmanto, onde será feita uma nova interligação. Desta vez com a ciclovia da Rodovia Antonio Butignoli até chegar ao campus da Unesp em Rubião.

Pelos estudos do Poder Público, a Ciclovia Municipal poderá se estender pela Rodovia Domingos Sartori, Rodovia João Hipólito Martins (Castelinho) até chegar novamente à região da Fatec, completando assim o anel cicloviário.

Sobre o homenageado

Pedrinho Sansão nasceu em Botucatu no dia 27 de fevereiro de 1973. Filho da professora Maria Nazaré Malheiro Sansão e do engenheiro Pedro Sansão, era pai de Vitor. Formou-se em Direito e trabalhou na área por seis anos. Mas sua grande paixão era mesmo o esporte, nas coisas boas que a vida lhe proporcionava através do ciclismo e das corridas de aventura, modalidade que ele trouxe para Botucatu, após se tornar também agente de turismo.

Como amante dos esportes radicais, logo tornou-se atleta de grandes eventos como o “Ecomotion”, assumindo posteriormente a posição de coordenador do mesmo pelo Brasil. Em 2006, inspirado pelas belezas naturais da região de Botucatu, montou a agência de turismo e aventura “Guará Ecoturismo”, juntamente com os sócios Augusto Tecchio, Juliana Spadaro e Roberta Santa Lucia, dedicada a organizar cursos e eventos esportivos, turismo rural e cultural pelas paisagens da nossa Cuesta, entre outras atividades.

Faleceu precocemente aos 34 anos, em 28 de outubro de 2007.