Prefeitura e CEF assinam convênio no valor de R$ 39 milhões

Na manhã desta quarta-feira (30), foi assinado o Termo de Compromisso do maior convênio da história de Botucatu com o Governo Federal, através da Caixa Econômica Federal (CEF). Serão R$ 39.807.839,44, para execução de obras de macrodrenagem urbana viabilizadas através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2. A cerimônia que contou com diversas autoridades aconteceu no Salão Azul da Secretaria Municipal de Educação.

A mesa foi composta pelo prefeito João Cury Neto; superintendente regional da CEF, Geraldo Machado Oliveira; Arlete da Silva, representando o vice-presidente da CEF; o presidente da Câmara Municipal, André Rogério Barbosa e os secretários de Planejamento e Obras, Carlos Eduardo Colenci e Nivaldo Vizotto, respectivamente.

Os recursos virão do Orçamento Geral da União (OGU) e serão repassados ao município a fundo perdido para a implantação de reservatórios de amortecimento das águas nos córregos Lavapés, Água Fria, Cascata, Antártica e Tenente.

O projeto, elaborado pela Prefeitura em 2009 e aprovado pelo Governo Federal, prevê a construção de cinco piscinões, desde o Parque das Cascatas, em Rubião Júnior, até o Córrego do Tenente que terão a finalidade de amortizar as águas das chuvas, evitando alagamentos em pontos que há anos são considerados críticos.

A proposta é que o entorno dos locais que abrigarão essas barragens seja revitalizado com a construção de um parque linear, que receberá equipamentos voltados ? recreação e ao lazer da população. Os piscinões contarão com comportas para regular a vazão das águas. Com a assinatura do termo de compromisso, o município poderá avançar no processo licitatório para contratação das empresas que executarão as obras.

Os secretários de Obras e Planejamento, que comandaram as equipes que elaboraram o projeto, fizeram uma explanação geral de como e onde serão aplicados os recursos, em diferentes regiões da Cidade.

{n}Dia chuvoso{/n}

O superintendente regional da CEF, Geraldo Oliveira lembrou que a assinatura do convênio para a macrodrenagem está sendo feito, coincidentemente, em um dia chuvoso. “É um bom prelúdio”, observou Oliveira. “Mas isso (viabilização do convênio) só aconteceu em razão dos esforços da Prefeitura que apresentou um projeto viável e que irá melhorar a vida das pessoas. Por isso, me sinto orgulhoso de estar aqui hoje fazendo parte desse cerimonial”, acrescentou o superintendente.

A representante da presidência da CEF, Arlete da Silva, foi taxativa ao falar sobre a celebração do convênio entre Prefeitura Municipal e CEF. “Quando um projeto é bem feito e direcionado para melhorar a qualidade de vida das pessoas, a possibilidade de ser aprovado é muito grande. E foi isso que aconteceu com Botucatu que apresentou um projeto social muito importante e a CEF entrou com parceira nessa missão”, disse.

{n}Mais de R$ 220 milhões{/n}

O prefeito João Cury enfatizou que o Governo Federal vem sendo um grande parceiro da Prefeitura e já investiu mais R$ 200 milhões em Botucatu desde o início de sua gestão, em diferentes projetos, em variados setores. “Essa obra de macrodrenagem marca uma nova realidade em Botucatu, pela sua importância social. Vamos eliminar alguns pontos de alagamentos e prevenir alagamentos futuros, com o crescimento da Cidade. Isso é fruto de um trabalho conjunto das nossas secretarias e o Governo Federal. Sozinho não se chega a lugar nenhum”, colocou Cury.

O chefe do Executivo fez questão de ressaltar que o projeto obedeceu aos trâmites legais e o convênio foi feito na maior lisura e transparência possível, sem percorrer nenhum atalho. “Apresentamos o projeto que foi minuciosamente elaborado e conseguimos o convênio. Agora a próxima etapa é preparar o processo licitatório”, disse o prefeito, adiantando que outros convênios com o Governo Federal, deverão ser realizados. “Uma das nossas metas é fazer uma ampla reforma no Mercado Municipal”, adiantou Cury.

Fotos: Valéria Cuter

{bimg:25616:alt=interna1:bimg}