Prefeito negocia ampliação e reforma do aeroporto

Foi na Secretaria da Aviação Civil, em Brasília, ao lado do deputado estadual Fernando Cury e do assessor jurídico da prefeitura, Carlos Eduardo Speltri,que  prefeito de Botucatu João Cury Neto foi recebido em audiência pelo coordenador Geral de Planejamento do Departamento de Gestão do Programa Federal de Auxílio a Aeroportos (DIPROFAA), Márcio Maffili Fernandes

No encontro foi debatida mais uma etapa de negociação e discussão do projeto que prevê a modernização do aeroporto municipal “Tancredo Neves”. Também participou do encontro o consultor Jorge Eduardo Leal de Medeiros, do Departamento de Engenharia da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

A partir da municipalização do aeroporto, ocorrida em 2013, a Prefeitura de Botucatu intensificou a busca por investimentos que possam elevar seu grau de importância no Estado de São Paulo e transformá-lo em vetor de desenvolvimento regional. O município foi incluído na lista de 19 aeroportos paulistas contemplados no PIL (Programa de Investimentos em Logística: Aeroportos), iniciado em 2013 e que visa reformar e ampliar 270 aeroportos de cidades pequenas e médias em todo o país. O programa, orçado em R$ 7,3 bilhões, tem o objetivo principal de fazer com que 96% da população brasileira esteja a, no máximo, 100 quilômetros de um aeroporto.

“Fomos muito bem recebidos e fizemos uma reunião muito produtiva. Recebemos a informação que o nosso projeto está bem embasado econômica e tecnicamente e tem sido priorizado pelo governo federal. Nosso projeto caminha no sentido de termos, em nossa cidade, após a reforma e modernização do aeroporto, a operação de linhas aéreas regulares, com transporte de passageiros, de Botucatu para o resto do Brasil”, anuncia o prefeito.  

O valor estimado para os investimentos que deverão ser realizados no aeroporto de Botucatu ultrapassa os R$ 80 milhões. O projeto contempla, entre outras melhorias, reforço de pista, área de taxiamento e a construção de um novo terminal de passageiros. Nos próximos 30 dias, o município deverá encaminhar à Cetesb a documentação necessária para obtenção do licenciamento ambiental das obras que serão executadas no local.