Prefeito João Cury faz explanação do seu governo

Em entrevista ao Jornal Acontece Botucatu o prefeito de Botucatu João Cury Neto fez um apanhado geral do que foi seu primeiro mandato e quais são suas projeções para mais três anos e oito meses de gestão, principalmente na área de saúde, onde teve um grande dissabor por ter adiado a inauguração do Pronto Socorro Infantil do antigo Hospital Regional Sorocabana, por problemas estruturais, que estava prevista para abril, mas foi adiada para junho.

{n}Acontece Botucatu – Prefeito João Cury, chegamos aos 158 anos de emancipação político administrativa. O que significa isso para o senhor? {/n}

João Cury – A cidade chega bem aos 158 anos. Para nossa sorte e felicidade, não temos uma cidade decadente do ponto de vista social e econômico. Pelo contrário. Botucatu tem se destacado cada vez mais dentro de um contexto das cidades que mais crescem no estado de São Paulo. É importante comemorar mais um aniversário tendo índices importantes e principalmente, qualidade de vida. Talvez esse seja, hoje, nosso maior patrimônio.

{n}Acontece – Antes de falar dos seus projetos futuros, gostaria que o senhor elencasse algumas obras importantes conquistadas no primeiro mandato. {/n}

João Cury: Nós trabalhamos uma mudança de conceito logo nos primeiros anos de governo, colocando o foco na pessoa humana, tentando fazer com que a administração pública se colocasse no lugar das pessoas. A palavra de ordem foi ‘gente em primeiro lugar’. Isso começou a dar resultado e permitiu que fizéssemos desde mudanças simples como abertura da prefeitura no horário de almoço para ampliar o atendimento ? população, até a construção de grandes obras. Posso citar a Praça da Juventude, uma série de creches que foram abertas em diversos bairros. Na área de saúde temos uma estrutura que mudou definitivamente a história da saúde na cidade. Além da construção de novas unidades como César Neto, Vitoriana, Santa Elisa, que marcaram a presença do poder público em bairros carentes e afastados do centro da cidade, podemos citar as conquistas dos grandes hospitais que estamos trazendo para Botucatu. O salvamento do Hospital Sorocabana foi uma grande ação do governo. Ação corajosa, difícil, mas que mostra um pouco o caráter da nossa administração. Essa foi uma ação emblemática. Botucatu depois de trinta anos terá dois novos hospitais: um para dependentes químicos e um hospital geral. Também teremos um ambulatório de especialidades, um centro de reabilitação para pessoas com deficiência. Do ponto de vista da inclusão temos um projeto importantíssimo que é a construção de casas populares. Isso gera cidadania e promove dignidade. Já entregamos mil e quinhentas unidades no primeiro mandato e agora vamos sortear mais 499 casas no aniversário da cidade. Entregamos uma casa por dia de governo na primeira gestão e agora nossa meta é construir duas casas por dia de mandato no segundo governo. Ainda na área de habitação iniciamos um trabalho importante de regularização de loteamentos. Regularizamos Monte Mor, loteamento Vitória em Vitoriana, os conjuntos da CDHU. É um trabalho silencioso, mas muito importante. São muitas obras como a criação das UNITs (Universidades do Trabalhador), que pretendemos institucionalizar através da criação de uma fundação para expandir suas atividades para a região, chegando até os municípios menores. Qualificar a mão de obra regional também é de interesse público em Botucatu. Temos colaborado com as indústrias, fazendo doação de terrenos para ampliação do nosso parque industrial e vamos precisar de mão de obra. O emprego é uma política emancipatória que vem sendo priorizada pelo nosso governo. Temos que dormir e acordar pensando em gerar emprego. O Parque Tecnológico é outra conquista importante e agora entra na fase de construção de seu edifício central. O Poupatempo, equipamento de abrangência regional, também foi outra grande conquista. A população se encantou com o Poupatempo. O novo Fórum é outra grande obra do governo. O shopping que agora está chegando tem a marca do poder público para sua instalação e esperamos que esteja pronto para o aniversário da cidade do ano que vem. Temos obras de infra-estrutura que foram marcas importantes como as avenidas Jamil Cury e Agostinho Torres que levam até o Fórum e que permitirão a ligação da Castelinho com Rubião Júnior. A duplicação da Avenida Mário Barbéris, na entrada da Cohab I. O Ilumina Botucatu, esse grande programa que nos permitiu melhorar a iluminação em diversas ruas e avenidas importantes, além de rodovias como a Gastão Dal Farra e a Domingos Sartori e Antonio Butignolli que fazem ligação com a Unesp. Podemos citar ainda a queda do monopólio do transporte público, a renovação do contrato com a Sabesp. São ações que mostraram ? população uma nova forma de governar, o jeito nosso de fazer política, enfrentando os problemas, superando os desafios, gerando cidadania e inclusão ? população.

{n}Acontece – De todas as obras conquistadas no primeiro mandato, qual foi aquela que mais o sensibilizou? E a mais difícil de ser conquistada? {/n}

João Cury – A que mais me sensibilizou foi a construção de casas populares. Nós retiramos da área verde do Monte Mor famílias que moravam em casas de papelão. Quando aconteceu isso, eu realmente me emocionei e fiquei extremamente motivado. Deu sentido ? vida pública. Para o político estar nessa vida, alguma coisa tem que fazer sentido para ele. Ali tive o sentimento de ser útil, de que nossa administração era útil para mudar e transformar a vida daquelas pessoas que estavam ? margem de qualquer projeto de inclusão que o município viesse a desenvolver. A questão da habitação tem sido trabalhada permanentemente como prioridade dentro do nosso governo. E não posso negar que, pela surpresa e pela pressa para decidir, a desapropriação do Hospital Sorocabana foi a conquista mais emblemática. O hospital gritava por socorro há mais de quinze anos. E a solução do problema sempre foi protelada. Até que começou o bloqueio das contas do SUS, comprometendo o atendimento médico, a compra de medicamentos. Então, numa atitude corajosa, decidimos comprar o hospital. Deu muito trabalho, gerou muito desgaste, mas estamos chegando a um final feliz. Se Deus quiser, no início de junho, entregaremos esse hospital ? população que terá uma surpresa no momento em que participar de sua inauguração, já que oferecemos um novo padrão de atendimento, principalmente para nossas crianças.

{n}Acontece – Agora vamos para o segundo mandato. Gostaria que o senhor fizesse um comparativo desses quatro primeiros meses do segundo mandato com o mesmo período do início da gestão passada. {/n}

João Cury – São completamente diferentes. Os quatro primeiros meses do primeiro ano do primeiro mandato foram marcados pela falta de experiência, falta de entendimento do funcionamento da máquina pública. Meu pai foi prefeito, mas não convivi com ele no dia a dia da administração. No primeiro mandato porque eu era muito pequeno e no segundo porque eu morava fora. Sem conhecer o funcionamento da máquina você chega e quer fazer tudo ao mesmo tempo. Sem muita noção, você acaba negligenciando um pouco o planejamento. Você tem que trabalhar na prefeitura pensando nos quatro anos. Muitas vezes o prefeito sai queimando largada e lá na frente falta fôlego. Hoje estou muito mais voltado para a administração interna, para o equilíbrio das contas, para que no momento do lançamento do pacote de obras que faremos, tenhamos a capacidade de realizar do tamanho da grandeza desses investimentos. Seja de recursos humanos, políticos ou financeiros. Isso é importante para que possamos executar obras que melhorem, definitivamente, a vida na cidade. Vivemos um outro momento. De mais experiência, com um aprendizado maior, onde damos passos mais lentos, só que mais firmes, em busca de um grande segundo mandato.

{n}Acontece -. O que a população pode esperar para os próximos meses na área de saúde? {/n}

João Cury – Pode esperar a entrega do Hospital do Bairro, a contratação de mais profissionais para a ampliação dos serviços. Vamos entregar ? cidade um Pronto Socorro Infantil. Unidades como essa existem em poucas cidades do estado de São Paulo. Na área de urgência e emergência, hoje Botucatu tem um Pronto Socorro Adulto funcionando em parceria com a Unesp, sendo que antes nem a obra haviam conseguido terminar. Trouxemos para Botucatu o SAMU que ajuda a salvar vidas e evitar sequelas. Uma pesquisa de avaliação de atendimento coloca nosso SAMU entre os cinco primeiros do estado. Enquanto tem prefeitura fechando o SAMU nós estamos melhorando, ampliando o serviço. Agora nossa meta é comprar motocicletas para incrementar o atendimento. E contamos ainda com um Pronto Socorro de alta complexidade na Unesp. Na atenção primária temos a expansão da rede de unidades básicas. Construímos em Vitoriana, César Neto, Santa Elisa e estamos concluindo as obras nos Comerciários e instalamos novas unidades no Santa Maria, Real Park e Cohab 4. São sete novas unidades em quatro anos. Estamos estudando abrir unidades no Maria Luíza, Itamaraty e Rubião Júnior. Temos postos de saúde que precisam ser reformados, por exemplo, na Vila Cidade Jardim e no Jardim Peabiru. Para a média complexidade teremos a instalação do AME e do Hospital Geral, além do Hospital do Bairro. Contaremos com serviços complementares como o Centro Lucy Montoro e o Hospital para Recuperação de Dependentes Químicos que também preenchem um vazio que tínhamos no sistema. E no nível terciário o Hospital das Clínicas da Unesp que vem crescendo cada vez mais e recebendo suporte do Governo do Estado e da Prefeitura nas parcerias que a gente tem. Outro avanço foi a criação do Espaço Saúde, no antigo postão da avenida Santana, onde pudemos instalar a nova Farmácia Municipal, com um outro conceito de atendimento. Também lá está em funcionamento a Clínica do Bebê que serve para identificar precocemente problemas na primeira infância. É um cuidado completo com a mãe e com o recém-nascido. Temos outras ações inovadoras do nosso governo como o Dose em Casa, que faz a entrega de medicamentos na casa do paciente, criamos o NASF (Núcleo de Apoio ? Saúde da Família) que levou novas especialidades para a rede básica como acupuntura, homeopatia. Introduzimos professor de educação física, psicólogos, assistentes sociais e diversos outros profissionais e serviços. Instalamos duas Residências Terapêuticas que contribuem para o processo de ‘desospitalização’ de pacientes com transtornos mentais. Estamos agora buscando uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) que provavelmente será instalada na região Leste, próximo ao Jardim Brasil. Para uma cidade do porte de Botucatu teremos uma condição ímpar na área de saúde, com a disponibilidade de um número significativo de equipamentos que farão atendimento através do SUS. Teremos um modelo a ser perseguido por outros municípios. Hoje a secretaria de saúde possui muitos parceiros como a Fundação UNI, Famesp, Hospital das Clínicas, Unimed, Misericordia que nos ajudam a elevar a qualidade do atendimento de saúde em Botucatu.

{n}Acontece – Como se sabe, o turismo é uma das áreas que mais geram emprego no planeta e Botucatu com seus recursos naturais tem um potencial invejável. Talvez até maior do que Barra Bonita que como estância turística recebe milhares de visitantes, principalmente aos finais de semana, movimentando o comércio local. O que falta para Botucatu se transformar numa estância e explorar com mais intensidade o potencial turístico que possui? {/n}

João Cury – O que a gente precisa é identificar vocações. E estamos trabalhando nisso. No primeiro mandato identificamos como vocação de Botucatu o desenvolvimento do turismo ligado a suas belezas naturais. Já tínhamos serviços sendo prestados, mas sem nenhuma organização por parte do poder público. O Programa Botucatu Terra da Aventura, que lançamos em nossa primeira gestão, organizou todos os prestadores de serviço para que pudessem trabalhar em conjunto. Não concorrendo, mas cooperando um com o outro para atender bem o turista. Hoje Botucatu tem recebido muitos eventos e turistas interessados em fazer trilha, visitar cachoeiras, andar de mountain bike. Organizamos isso através de uma identificação de vocação. Também somos vocacionados para o turismo científico por conta da universidade e o turismo de negócios que também tem que ser explorado. Agora trabalhamos e estimulamos a vinda de mais um hotel para a cidade. Isso ajuda e podemos ampliar ainda mais a oferta de leitos. Isso atrai mais turistas e aumenta apossibilidade de novos negócios. Temos projetos importantes para serem executados como a revitalização completa do Parque Natural Cachoeira da Marta. Já obtivemos o recurso e estamos brigando pela sua liberação. Também estamos investindo muito no Parque Municipal Joaquim Amaral Amando de Barros, no Jardim Paraíso. Já fizemos um lago, agora estamos trabalhando no platô e pretendemos construir uma grande estrutura voltada ? educação ambiental e ao lazer. Temos festas tradicionais como o Festival do Saci, o Encontro de Automóveis Antigos, a Feira da Mandioca, o Botucanto e tantos outros, que atraem pessoas de toda a região para nossa cidade. A Virada Cultural, que trouxemos para Botucatu, também é um evento que se fortalece a cada ano. Em 2012 mais de 45 mil pessoas permaneceram na cidade para acompanhar as atrações que aqui se apresentaram. Ainda temos muito a fazer. Vamos agora firmar uma parceria com a igreja católica para trocar toda a iluminação da Igreja de Santo Antonio, em Rubião Júnior, que está sendo restaurada. O Espaço Cultural está sendo recuperado e totalmente remodelado. Estamos fazendo um grande investimento na antiga Estação Ferroviária, recuperamos o antigo armazém onde será instalada a Casa da Juventude. Queremos colocar o trem turístico para funcionar. Vamos iniciar a reforma do prédio do Fórum antigo onde o Governo do Estado instalará o primeiro ramal da Pinacoteca fora da capital. E neste dia 13 de abril vamos inaugurar o PIT (Posto de Informações Turísticas) construído em parceria com a Sabesp, na entrada da cidade. Trata-se de um equipamento inovador já que foi construído levando em conta o conceito de sustentabilidade. Ali vamos acolher bem e levar informações aos nossos turistas.

{n}Acontece – Na educação, prefeito, quais são seus projetos para o segundo mandato? {/n}

João Cury – Queremos aumentar a inclusão dos alunos, com a escola de tempo integral. Em parceria com a Embraer, trouxemos para Botucatu o Colégio Embraer, que nos mostra que é possível fazer escola de qualidade em período integral. E isso começa a ser uma realidade em Botucatu. Hoje temos mais de mil crianças nos dois períodos com a prefeitura: de manhã na sala de aula e ? tarde fazendo atividades esportivas ou culturais através do Mais Educação, do Segundo Tempo e do Projeto Guri. Essa é uma revolução silenciosa. Na educação infantil temos mais creches para serem entregues. Não tenho medo de errar que nosso governo foi aquele que mais incluiu crianças de zero a quatro anos na rede municipal. Foram mais de duas mil e quinhentas crianças atendidas em mais de quinze creches instaladas, ampliadas ou construídas, multiplicando a oferta de vagas e dando para a mãe a oportunidade de trabalhar, já que a prefeitura cuida de seu filho. Acabamos de inaugurar a segunda creche do Comércio, na Vila dos Lavradores, reformamos e ampliamos em cem vagas a creche da Vila Paulista. Vamos ter novas creches no Rio Bonito, Santa Maria, Santa Elisa e Monte Mor. No ensino fundamental vamos trabalhar para construir novas escolas na região do Jardim Itamaraty, Rubião, Comerciários e no Cedro, próximo ao Maria Luíza. Vamos concluir as obras da Escola do Cambuí. Na área do ensino superior queremos ampliar a oferta dos cursos de graduação e pós-graduação. Em parceria com a Unesp queremos colocar em funcionamento o curso de engenharia em biotecnologia. Também cursos de pedagogia, administração e engenharia com a iniciativa privada. Além disso vamos ampliar a oferta de cursos profissionalizantes através das UNITs e das parcerias que temos como o Senai, Senac e Centro Paula Souza. Temos como meta oferecer tablets para os nossos alunos, levando tecnologia e aquilo que há de melhor para dentro da sala de aula. Vamos reformar a Cozinha Piloto para ampliar os serviços e melhorar as condições de trabalho da merenda escolar. Queremos colocar suco in natura em todas as escolas. Ampliaremos a frota de transporte escolar com a adesão ao programa Caminhos da Escola que prevê a compra de novos ônibus. Tudo isso mostra que, para nosso governo, educação não é discurso. Temos muito para ser feito nesse segundo mandato.

{n}Acontece – Falando agora sobre o jogo político, o senhor hoje conta com maioria absoluta na Câmara Municipal. Oito dos onze vereadores eleitos fizeram parte da coligação que o elegeu e tem facilidade para aprovar projetos de interesse do Executivo. Qual é a sua relação com esses três vereadores que fazem parte da ala oposicionista? {/n}

João Cury – Minha relação com os vereadores é extremamente cordial. Botucatu nunca viveu um péssimo momento, mas acho que vinha perdendo oportunidades por acomodação. No passado recente o governo não se preocupava em ir atrás, em buscar algo novo para a cidade. Se achava onipotente, onipresente, que não precisava de ninguém. Nós mudamos isso e conseguimos acelerar o desenvolvimento da cidade. Trouxemos muitas conquistas para Botucatu. E é importante ter parceiros que nos ajudam a governar. Na Câmara, esses oito vereadores que foram eleitos, assumiram compromissos conosco em cima do palanque. Com eles temos uma facilidade maior de execução porque os sonhos foram sonhados juntos. Mas também temos uma relação extremamente cordial com a bancada oposicionista. Jamais enxerguei, do ponto de vista pessoal, qualquer problema com esses vereadores. Temos divergências, mas as dificuldades são inerentes ao processo político, com disputa de espaço, apresentação de rumos e caminhos que nem sempre são convergentes. Mas minha relação com a Câmara Municipal tem sido muito boa. Agradeço aos vereadores do mandato passado e do atual mandato porque é dentro dessa disputa política que a gente consegue crescer como cidadão, como governante, como homem público e como pessoa. Entendo que precisamos trabalhar para construir convergências que nos possibilitam fazer política em alto nível, respeitando as minorias e enfatizando que nossas ações são voltadas ao bem estar da população.

{n}Acontece – Como se sabe, no ano que vem teremos eleição para presidente da República, governador do Estado, senadores, deputados federais e estaduais. Grande parte dos políticos que fizeram parte da coligação que o elegeu certamente irão buscar votos para os políticos de seus respectivos partidos e acredito que o senhor também terá suas preferências políticas. Como separar o conflito de interesses dentro da própria situação? {/n}

João Cury – Isso, desde o primeiro mandato, sempre foi muito tranquilo para nós. O PC do B, por exemplo, apoiou a presidente Dilma e o partido está dentro do nosso governo, tem participação importante. O Caldas, nosso vice-prefeito, apoiou a presidente Dilma e eu apoiei o candidato Serra. Apoiamos o Geraldo Alckmin e dentro do governo havia quem apoiasse outros candidatos. A gente não pode confundir os desafios locais com as questões nacionais. E nem atropelar a preferência de integrantes do governo por outra opção. Isso faz parte da democracia. Não queremos fazer com que a máquina seja aparelhada, trabalhando apenas por um partido, por uma candidatura. É a demonstração do respeito que temos por nossos parceiros. A gente tem que buscar convergência e unidade na eleição municipal. Nas eleições estadual e federal, existem outros compromissos que merecem ser respeitados. Na linha do que dizia Santo Agostinho, para aquilo que é necessário, unidade. Para aquilo que é duvidoso, liberdade. Precisamos construir um bom cenário político para que nossos representantes, em 2014, possam ter oportunidade e viabilidade eleitoral que os permitam ganhar as eleições. Vou trabalhar para isso, seja quem for o candidato, próximo do nosso campo político. Elegendo esses candidatos para deputado estadual ou federal será bom para a cidade. Do ponto de vista da eleição majoritária, é claro que teremos nossos candidatos e vamos trabalhar para eles. E dentro da estrutura governamental vamos respeitar aqueles que vierem a ter uma opinião contrária. Eu, até por conta de ter assumido a presidência do PSDB em Botucatu, vou trabalhar muito para reconduzir o governador Geraldo Alckmin ao Palácio dos Bandeirantes e o senador Aécio Neves para ser nosso presidente da República.

{n}Acontece – Cogita-se nos meios políticos da cidade que, no caso de uma vitória do PSDB para o governo de São Paulo, o senhor poderia, ao final de seu segundo mandato, assumir uma secretaria ou um cargo de confiança do governador. O senhor já foi consultado sobre esta questão ou pensa nessa possibilidade? {/n}

João Cury – Nunca fui consultado e não penso nisso. Esses cargos são de confiança do governador, que certamente, no momento adequado, vencendo as eleições, saberá avaliar aqueles que poderão colaborar com a tarefa de conduzir os destinos do Estado de São Paulo. O que posso garantir é que pretendo terminar meu mandato de prefeito. Cada dia com sua agonia. Até 2016 temos muito para fazer. Depois decidiremos qual rumo tomar. Em 2014 teremos candidatos a deputado, a governador e vamos trabalhar para que eles vençam as eleições.

{n}Acontece – Prefeito gostaria de lhe agradecer pela entrevista e deixá-lo ? vontade para falar de algum assunto que seja de interesse da coletividade que não tenha sido inserido nas perguntas. O espaço é seu. {/n}

João Cury – Aproveito para ressaltar a importância do lançamento do jornal Acontece, que chega para ser mais um instrumento de formação e veículo de informação para nossa comunidade. A chegada de um novo jornal tem que ser muito comemorada por todos nós. É mais um espaço de opiniões, de informação. Sei que as pessoas envolvidas com esse projeto têm compromisso com o bom jornalismo, com a imparcialidade que um bom jornal deve perseguir. Quero cumprimentar o Acontece por mais esse passo, firme, importante, bem dado e que a população de Botucatu comemora. E aproveito para convidar os leitores para participarem dos eventos que marcam as comemorações dos 158 anos de nosso município. Temos uma agenda de atividades para todo o mês de abril e a grande estrutura que assim como em anos anteriores, foi montada no Largo da Catedral para que a nossa população possa brindar mais um aniversário da nossa querida e amada Botucatu.