Prefeito explana sobre obras na Dante Delmanto

Fotos: Luiz Fernando

 

Com a finalidade de esclarecer a opinião pública sobre o andamento da construção da rotatória da Dante Delmanto, a Prefeitura de Botucatu convocou uma coletiva de imprensa.  A obra, projetada para organizar a distribuição do trânsito nas imediações do Distrito Industrial 1 e permitir o retorno seguro de motoristas que trafegam pela avenida, tem sido alvo de uma série de questionamentos antes mesmo de ser concluída.

Durante a conversa com os jornalistas, o prefeito João Cury Neto esclareceu que o projeto da rotatória recebeu parecer favorável do setor de engenharia da Caixa Econômica Federal, responsável pelo repasse dos recursos do convênio que foi celebrado entre o município e o Governo Federal para execução da obra.

“Tecnicamente, da forma como foi construída, a rotatória é totalmente defensável. O ideal seria que as pessoas aguardassem a conclusão da obra para depois fazer as críticas. Mas não é isso que acontece. Enfrentamos a mesma situação com a rotatória do Jaú Serve onde houve um juízo de valor antes da sua conclusão. Hoje ninguém fala mais nada. A verdade é que existe um desconhecimento de engenharia por parte de algumas pessoas que fazem as críticas e isso gera especulações”, comentou.

O engenheiro Marcos Rezende, responsável pela fiscalização do contrato, garante que o responsável pela elaboração do projeto obedeceu as normas do DER (Departamento de Estradas de Rodagem) e do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), com a rotatória tendo o círculo central com diâmetro de 30 metros. A medida cumpre o tamanho mínimo exigido pela legislação. Como o local é adensado com imóveis residenciais e comerciais, tornou-se inviável executar desapropriações que garantissem a construção de um dispositivo de segurança ainda maior.

“Não teríamos dificuldade nenhuma em admitir se, eventualmente, estivéssemos errados. O dispositivo foi construído dentro das normas técnicas. Mas é preciso ressaltar que a obra ainda não foi concluída”, acrescenta o prefeito.

A Prefeitura ainda executará toda a sinalização aérea e de solo e instalará redutores de velocidade para garantir total segurança a quem trafega pelo local. Esses serviços deverão ser concluídos no prazo de 30 dias, se as condições do tempo forem favoráveis. O objetivo é fazer com a circulação de veículos na altura da rotatória aconteça em velocidade moderada. Além disso, o dispositivo também ganhará paisagismo. 

Também estiveram presentes à coletiva, o presidente da Câmara Municipal, Ednei Carreira; os vereadores André Rogério Barbosa – Curumim e Lelo Pagani, além dos secretários de Mobilidade Urbana, Vicente Ferraudo; de Desenvolvimento, Edison Baptistão; de Obras, André Peres e de Governo, Caco Colenci e de Fazenda, Luiz Augusto Felippe.