Prefeito e sindicato discutem reajuste salarial dos servidores

Está previsto para a tarde desta quarta-feira (4), ? s 14 horas, uma reunião entre o prefeito João Cury Neto com o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais, José Manoel (Mané) Leme. O assunto é o reajuste de salários dos servidores para o período compreendido entre abril de 2001 a abril de 2012.

As negociações do ano passado foram conflitantes, mesmo tendo o prefeito comparecido a três assembléias colocando a situação atual do Executivo e até onde poderia chegar, mas não houve acordo. Na ocasião Cury alegou que havia buscado todas as alternativas para oferecer reajuste maior sem comprometer o pagamento de serviços essenciais (coleta de lixo, iluminação pública e recape e pavimentação asfáltica, etc.) e investimentos prioritários para o Município.

“As limitações de natureza orçamentária impedem a administração de oferecer percentual maior de reajuste”, justificou o prefeito, que encaminhou um decreto ? Câmara Municipal determinando o reajuste em 6%, tomando como base o índice inflacionário de 5,49% apurado no período maio/2009 a abril/2010. Com isso, o sindicato decretou a greve, mas não teve a adesão esperada e o movimento foi encerrado dois dias depois.

Para este ano, Leme acredita que as negociações serão mais tranquilas. “Numa negociação salarial, as duas partes envolvidas vão procurar defender seus interesses. Nós colocaremos na mesa a nossa reivindicação, faremos a nossa proposta e ouviremos o que a Prefeitura tem a oferecer aos servidores. Depois, apresentaremos a proposta em assembléia e seja qual for a decisão, o sindicato estará ao lado dos servidores”, frisou Mané Leme.

O sindicalista está confiante numa boa negociação salarial, que atenda as duas partes envolvidas. “O prefeito revelou que irá manter a política de dar aumento acima da inflação do período. Então, pelos dados que temos, a inflação acumulada de maio de 2010 a 2011 foi de 6,14% e deverá aumentar um pouco quando for divulgado a (inflação) do mês de abril. Com isso, a inflação acumulada deverá chegar próxima dos 7%, no período, mas nós vamos reivindicar pelo menos 1% a mais, ou seja, 8%”, adiantou Mané Leme. “Também será colocado na pauta de negociação um reajuste no vale compra de R$ 300,00 para R$ 400,00”, acrescenta.