Prefeito discute benfeitorias com rancheiros da Mina

A Defesa Civil do Município, através do coordenador Domingos Chavari Neto, marcou uma reunião no Bairro da Mina a pedido dos rancheiros daquela região da cidade. O encontro se deu no Bar do Nelson Aparecido Lopes de Oliveira (Bar do Nelson), que contou com a presença do prefeito municipal João Cury Neto, Secretário de Transporte Vicente Ferraudo e do Secretário de Esportes Luiz Antônio Pereira.

Uma das reclamações dos rancheiros foi com relação ao transporte coletivo. O secretário adiantou que irá confirmar horário de ônibus de transporte urbano após ouvir a população que usa esse meio de transporte no bairro da Mina e região, com divulgação através da imprensa e cartazes.

O prefeito e o Secretário de Esportes, em atendimentos aos jovens jogadores, vão construir um campo suíço, (terraplanagem), o Secretário adiantou que além do campo, irá doar um par de traves, dois pares de rede, cinco bolas, coletes, o alambrado será doado pela Prefeitura e a colocação será pela comunidade. Também ficou acertada a construção de um campo de malhas.

Outra benfeitoria será a de modernizar a entrada do bairro, com a instalação de um portal. O prefeito vai mandar fazer o projeto e apresentar aos rancheiros para ser aprovado ou não. “É obrigação do Poder Público discutir com a população as suas reivindicações. É isso que procuramos fazer antes de iniciar um projeto, pois é a população que sabe quais são as suas prioridades”, colocou no prefeito.

{n}Vide fotos na galeria

* Erosão perigosa{/n}

{bimg:7627:alt=interna2:bimg}

A Defesa Civil do Município também esteve na Rua Visconde do Rio Branco, próximo a ponte que dá acesso a Rodovia Marechal Rondon, onde existe uma casa de madeira, que está na eminência de cair em razão da formação de uma erosão de 15 metros de largura por 12 de profundidade.

Segundo morador, Rogério Honorato, a erosão foi formada pela água que desce de uma galeria, tipo poço, de uma agência de veículos e de um posto de gasolina e que está causando sérios danos ao Meio Ambiente, já que é uma água com muitos produtos químicos, que mata aves, animais, peixes e vegetação.

{bimg:7626:alt=interna1:bimg}

“Estivemos no local e pudemos observar de perto a gravidade desse problema. Nós estamos encaminhando esta situação ? Vigilância Sanitária, Cetesb, Prefeitura Municipal, Secretaria de Meio Ambiente, Secretaria de Saúde e tanto órgãos quantos forem necessários. Essa situação não pode mais perdurar”, destacou o coordenador da Defasa Civil, Domingos Chavari Neto.