Pescadores do Rio Tietê poderão ter casa própria

Ao longo dos últimos anos, as margens do Rio Tietê, principalmente na região do Rio Bonito onde se ergueram colônias de pescadores, que vivem com suas famílias em parcos barracos de madeira sem o mínimo de conforto em locais considerados Área de Preservação Ambiental (APA). Grande parte desses profissionais da pesca, veio de outras regiões brasileiras, principalmente do Nordeste e aqui se fixou.

Para buscar uma alternativa para essa parcela da população, o prefeito João Cury Neto e o secretário municipal de Habitação José Carlos Broto estiveram reunidos com o Secretario de Estado da Habitação, Marcos Penido para buscar uma solução para atender a essas famílias.

“Tivemos a sinalização positiva do governo do Estado para a construção de unidades habitacionais voltadas a população de pescadores que vivem em área de risco e de preservação ambiental, no Bairro Porto Said. Já levamos em mãos o projeto de uma Vila de Pescadores, para análise dos técnicos da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) que ficaram de analisá-la e em breve nos darão uma resposta definitiva sobre o nosso pedido”, disse o prefeito.

Vale lembrar que existe o Decreto nº 8242 datado de 31 de março de 2010, declarando de utilidade pública para desapropriação amigável, uma grande faixa de um terreno naquela região onde vivem os pescadores que estão alojados em barracos às margens do rio há mais de 14 anos. Essa área desapropriada tem mais de 61 mil metros quadrados.