Parquímetros começam a operar em 1º de março

Está definido que no próximo dia 1º de março (quinta-feira) tem início um novo sistema de controle de estacionamento na região abrangida pela Zona Azul: os parquímetros. Eles são dispositivos eletromecânicos que visam resolver o problema crônico da baixa rotatividade dos carros que ocupam vagas nas ruas e dificultam o estacionamento na região central das cidades. Em Botucatu, a princípio, serão instalados 48 parquímetros, a uma distância de aproximadamente 60 metros um do outro.

O serviço será prestado pela Autoparque do Brasil, vencedora do processo licitatório, que além dos parquímetros também realiza os serviços de pintura de solo das vagas que fazem parte da Zona Azul.

O trecho de vias abrangido pelo sistema rotativo, inicialmente, será o da Rua Prudente de Moraes até a Rua Coronel Fonseca (ao lado da Praça Coronel Moura – Paratodos), nos cruzamentos com as ruas João Passos, Amando de Barros e Curuzu; além da Avenida Floriano Peixoto, entre as ruas Djalma Dutra e Tiradentes. De acordo com o edital, inicialmente serão disponibilizadas 961 vagas na área de Zona Azul com possibilidade de ampliação para até 1.800 vagas.

Nos dias 27, 28 e 29 (segunda, terça e quarta-feira) deste mês haverá um período de conscientização e orientação junto aos motoristas na região central de Botucatu, com a participação de agentes contratadas e capacitadas pela Autoparque, que utilizarão moedas fornecidas pela própria empresa, sem a cobrança da tarifa.

A partir do dia 1º monitores da empresa continuarão nas ruas explicando a operação e distribuindo folders, mas a cobrança estará em validação. Até o dia 17 de março, esses mesmos monitores também avaliarão com cartões azuis os motoristas que estiverem estacionados de forma regular e cartões vermelhos os que estiverem estacionados de forma irregular.

A fiscalização com autuações está prevista para iniciar apenas no dia 19 de março (segunda-feira) e será realizada por policiais militares. Antes disso, a PM fiscalizará somente os motoristas que estiverem irregulares nas vagas de idoso, deficientes, farmácias, entre outros. Já os pouco mais de 50 jovens da Guarda Mirim, que executam o serviço de venda de talões pelo modelo atual de Zona Azul, serão absorvidos pela Prefeitura de Botucatu.

{n}Moedas ou cartões{/n}

O pagamento da tarifa de estacionamento poderá ser feito com moedas ou cartões magnéticos recarregáveis. Pelo cartão, o usuário terá a opção de pagar R$ 0,35 pelo período de 15 minutos. Em moedas, o serviço fixa o custo mínimo de R$ 0,70 para a permanência de 30 minutos do veículo.

A vaga na Zona Azul ainda poderá ser ocupada por uma, uma hora e meia ou duas horas, que respectivamente terão tarifa de R$ 1,40, R$ 2,10 e R$ 2,80. Depois deste prazo, os motoristas terão de trocar de vaga ou ir a outro local fora do estacionamento cobrado.

{n}Tecnologia{/n}

Os usuários poderão carregar seus cartões magnéticos no próprio parquímetro, como também pela internet ou base da empresa, que já está instalada em um imóvel na região central (Rua General Telles, nº 1331 – Centro). Os agentes fiscais estarão equipados com smartphones conectados ? internet e a um sistema de GPS, que identificará se determinado veículo está ou não de forma regular na vaga.

Caso sejam notificados pelo estacionamento irregular ou expiração do tempo permitido na Zona Azul, o motorista terá a possibilidade de pagar em um prazo de 24 horas uma taxa de R$ 10. Se o mesmo não for feito, o condutor fica sujeito a multa de R$ 54 e três pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Os equipamentos são os mais modernos e utilizados no mundo. Possuem recarga de bateria por energia solar, e através de modems, transmitirão diariamente ? Prefeitura, todas as informações sobre arrecadação e manutenção de cada um dos 48 equipamentos. Esse processo garante a transparência e credibilidade do sistema.

A Secretaria Municipal de Transporte receberá repasse de 11,40% referente ? outorga do serviço e 100% dos valores arrecadados das multas aplicadas aos veículos que estacionarem de forma irregular. A Prefeitura ainda arrecadará percentual sobre o Imposto de Serviço de Qualquer Natureza (ISS). Esses recursos serão revertidos para melhorias no trânsito do Município.

Segundo o gerente de negócios da Autoparque do Brasil, Cesar Mourão, o sistema de monitoramento será eletrônico. “Todo nosso pessoal estará percorrendo a área de Zona Azul, e cada um será responsável por um setor.

Esse setor foi desenhado da melhor maneira possível para que a pessoa possa fazer a área de cobertura sem precisar ficar indo e voltando naquele local”, explica. “O objetivo é gerar estacionamento para que as pessoas possam utilizar, ou seja, democratizar o uso do espaço público. Hoje, se você anda na Rua Amando de Barros, para encontrar uma vaga de estacionamento é muito difícil, muitas vezes há pessoas que estacionam o carro ? s 8 da manhã e retiram ? s 6 horas da tarde. A intenção é criar vagas onde elas não existem, limitando o tempo de estacionamento em torno de duas horas”, relata.