Parque Tecnológico entra na reta final da inauguração

Como meio de potencializar o desenvolvimento econômico de Botucatu e credenciar o município como pólo gerador de tecnologia e inovação, o Parque Tecnológico da cidade está muito perto de ser inaugurado. As obras deverão ser concluídas nesta semana com o término da portaria que controlará o acesso ao local. Depois disso restarão apenas alguns detalhes como instalação de mobiliário e equipamentos de informática, além da limpeza fina que vai preparar o prédio para a inauguração. 

“Entramos na reta final. A entidade gestora, por exemplo, já se instalou no prédio e trabalha no local. A data ainda será definida em comum acordo com o Governo do Estado, mas estamos trabalhando para que o Parque seja inaugurado na última semana de fevereiro”, adianta o secretário adjunto de Ciência e Tecnologia, Carlos Alberto Costa.

Ele enaltece o fato do município de Botucatu lançar mão de uma política pública ousada voltada à consolidação do desenvolvimento tecnológico e da inovação e coloca o projeto concebido pela associação que vai gerir o parque no mesmo nível dos principais modelos do país. 

“No estado de São Paulo são pouco mais de vinte iniciativas como essa que estão em fase de implantação e Botucatu estará entre os dez primeiros municípios a colocar seu parque em operação. É um projeto diferenciado, que vai alavancar o desenvolvimento econômico e social do município e colocará a cidade em destaque no tocante ao planejamento estratégico. Todos nós que estamos participando desse processo ficamos muito felizes em ver que estamos tão perto de ter a consolidação do nosso parque”, declarou.

Ainda neste mês de janeiro, a Prefeitura deverá publicar o edital de chamamento para selecionar as primeiras empresas que deverão ocupar áreas e desenvolver projetos dentro do Parque. Já existe uma lista de interessados em fazer parte do empreendimento que já recebeu mais de R$ 12 milhões em investimentos por parte da Prefeitura e do Governo do Estado. 

O Parque Tecnológico Botucatu terá como objetivo principal promover o desenvolvimento socioeconômico sustentável da região, por meio do fomento à inovação tecnológica em bioprocessos – procedimento tecnológico que utiliza sistemas biológicos, componentes e derivados de organismos vivos – para produção de medicamentos, insumos médico-hospitalares, compostos para fins industriais, fitoterápicos (produtos feitos com plantas medicinais), sistemas de produção agropecuários sustentáveis, produtos orgânicos, biorremediação (uso de microorganismos para recuperação de áreas contaminadas), controle biológico, serviços ambientais, caracterização e uso de resíduos. 

O projeto está sendo implantado na Rodovia Gastão Dal Farra, em duas áreas que somam 286 mil m² – equivalentes a 34,6 campos de futebol iguais ao do Maracanã. As áreas ficam a 3 km da Rodovia João Hipólyto Martins (SP-209) – que liga a via Castelo Branco a Botucatu. Os locais estão estrategicamente posicionados nas proximidades da Faculdade de Tecnologia (Fatec), do aeroporto municipal e da Embraer. Dentro do plano, está previsto um condomínio industrial para empresas de base tecnológica, além de auditório, área de alimentação, laboratórios, estacionamentos, biblioteca, incubadora de empresas, e centros de ensino, pesquisa, e difusão. 

Desde 2009, o município de Botucatu integra o Sistema Paulista de Parques Tecnológicos. O credenciamento provisório foi assinado pelo então secretário de Desenvolvimento e atual governador do estado, Geraldo Alckmin, em cerimônia realizada no campus Lageado da Universidade Estadual Paulista (Unesp). 

Desde então, a Prefeitura e seus parceiros passaram a trabalhar para receber empresas interessadas em investir em Botucatu, de forma a estimular a inovação tecnológica, o crescimento econômico da região e a geração de emprego e renda para a população. "As empresas que vierem se instalar vão aproveitar a qualidade intelectual que existe na cidade para desenvolver produtos inovadores com maior valor agregado", ressalta o prefeito João Cury Neto. 

 

Da Assessoria