Parque Municipal poderá receber eventos noturnos

Recebendo um investimento de R$ 60 mil com a colocação de 15 postes e 23 luminárias com lâmpadas vapor metálico (luz branca) de 250 watts, o Parque Municipal Joaquim Amaral Amando de Barros poderá receber eventos noturnos. A iluminação abrangerá a grande área verde de entrada do parque e o entorno do lago, construído em 2012.

“Neste início a iluminação será utilizada para os grandes eventos que o Parque Municipal poderá receber no horário noturno. A ideia é abrir ele ? noite, ? população, somente quando outras obras projetadas para a remodelação do parque estiveram concluídas”, esclarece o secretário municipal de Meio Ambiente, Perseu Mariani, lembrando que o novo sistema será inaugurado na noite deste sábado, durante a 19ª edição da Feira do Verde.

Entre as obras projetadas para o Parque Municipal está a construção do Poupatempo Ambiental o primeiro de São Paulo e está avaliado em R$ 1,3 milhão, com investimento do Governo do Estado. Ele unificará os serviços ambientais em um único espaço, como a Secretaria do Meio Ambiente, a Agência Ambiental da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb), o Instituto Florestal, a Fundação Florestal, Guarda Civil Ambiental e posto da Polícia Ambiental.

A implantação permitirá o fornecimento de programas e eventos voltados ? educação e interpretação ambiental para a população, escolas e entidades, facilitará a oferta de serviços de licenciamento ambiental e integrará as unidades de fiscalização. Também está prevista a construção do Centro Receptivo estrutura que inclui a construção de anfiteatro, portaria, lanchonete e concha acústica para eventos. O Ministério do Turismo destinará R$ 600 mil e o Poder Público Municipal dará contrapartida de R$ 54 mil.

O Parque Municipal ocupa uma área aproximada de 10 hectares, com espaço natural para lazer e eventos, como programas periódicos de educação ambiental como o Domingo no Parque. Também proporciona melhoria do clima e conservação de recursos naturais em plena área urbana. A mata nativa preservada é de transição entre cerrado e mata atlântica. Abriga diversas espécies vegetais, uma fauna rica em pássaros, trilha ecológica, além de ser uma área de nascentes d’água.