Parque 24 de Maio e Serra Negra terão suas praças

O prefeito João Cury Neto, o secretário municipal de Planejamento, Carlos Eduardo Colenci e o coordenador do Orçamento Participativo (OP), Paulo Sérgio Alves estiveram reunidos para discutir a construção de mais duas praças públicas em Botucatu.

Com a proposta de melhorar a infra-estrutura e disponibilizar novos espaços de lazer e convivência para a comunidade, a Prefeitura desenvolve o programa “Nossas Praças”. Através dele já foram executadas obras em praças importantes como a Getúlio Vargas (próximo ao terminal rodoviário), Largo São José (Centro), Isaltino Pereira (Jardim Paraíso), Alexandre Fleming (Vila dos Lavradores), Padre Bento (Cohab 1) e Adolpho Dinucci (Vila Antártica).

A prioridade agora é a implantação de duas novas praças que foram indicadas como prioritárias pela comunidade nas assembleias do Orçamento Participativo realizadas em 2011. Os bairros escolhidos são Parque Serra Negra (região leste) e Parque 24 de Maio (região sul). Os projetos estão sendo finalizados, mas segundo Colenci, já está definido que incluirão entre os atrativos estão a academia ao ar livre, playground e urbanização completa que inclui calçamento, bancos, lixeiras e iluminação.

“No Serra Negra, além da praça, a Secretaria de Obras também executará obras que contribuirão para a melhoria do sistema viário daquela região”, anuncia Colenci, ressaltando que a previsão é que as obras sejam iniciadas ainda no primeiro semestre deste ano.

O prefeito João Cury diz que projeto está na fase de análise final. “O próximo passo será a elaboração do projeto executivo que definirá o custo das obras. Cumprindo aquilo que foi pactuado com a população, os recursos já estão sendo reservados para garantir a construção das duas praças. São prioridades antigas dos moradores do Serra Negra e do 24 de Maio que agora teremos condições de atender através do Orçamento Participativo”, diz Cury.

“É tirar a participação popular do discurso e transformá-la em realidade, com a comunidade ajudando a prefeitura a decidir onde aplicar o dinheiro”, emenda o chefe do Executivo botucatuense.