Obras de revitalização da orla do Rio Bonito entram na reta final

orla-do-rio-bonito-foto-carlos-pessoa-6Aguardada com grande expectativa pelos moradores, proprietários de ranchos e frequentadores do Rio Bonito, a revitalização do trecho de 800 metros da orla, executada numa parceria entre a Prefeitura de Botucatu e a AES Tietê, deverá ser concluída até o final deste mês. A previsão é dos engenheiros que acompanham a execução dos trabalhos e fiscalizam o cumprimento do contrato.

“A empresa contratada para realização dos serviços já está na fase de acabamento, restando muito pouco a ser feito como a pintura da ciclovia, paisagismo e mais alguns detalhes. Até o final do mês a obra estará pronta para ser inaugurada”, afirma o engenheiro Marco Rezende.

orla-do-rio-bonito-foto-carlos-pessoa-5Quem já teve a oportunidade de passar pelo local não poupa elogios à transformação que resultou em um ambiente mais bonito, limpo, moderno e seguro. A rua ganhou calçamento novo em bloquetes. O trecho foi contemplado com ciclovia e pista para caminhada. Também já foi instalado todo o sistema de iluminação, além de bancos e playground.

Dois decks foram construídos permitindo a contemplação dos belos cenários da região banhada pelo Rio Tietê. Uma passarela também já está à disposição do público nas imediações da bica. Um píer está em fase final de construção, bem como uma quadra de esportes junto ao antigo camping.

orla-do-rio-bonito-foto-carlos-pessoa-3O projeto, orçado em R$ 2 milhões, é financiado pela AES Tietê. O investimento foi viabilizado por conta de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado pela Prefeitura e a empresa referente à ocupação irregular de uma área da empresa por famílias de pescadores no Porto Said. As partes entraram em entendimento e encontraram uma solução criativa para um grave problema de natureza social e ambiental.

A Prefeitura adquiriu uma área e colocou à disposição da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano) para a construção de um conjunto de casas para os pescadores. Em contrapartida, a AES Tietê comprometeu-se em financiar o projeto de revitalização do trecho da orla do Rio Bonito, que se estende das proximidades dos banheiros públicos, passando pela bica, até próximo a rampa de embarcações, no prolongamento da Rua 03.

orla-do-rio-bonito-foto-carlos-pessoa-4O prefeito João Cury ressalta a importância da obra e de outros investimentos para impulsionar o turismo na região.  “Será uma obra marcante. Não tenho dúvida. Vamos oferecer mais qualidade aos moradores e frequentadores do Rio Bonito. Também estamos investindo cinco milhões de reais, em parceria com a Sabesp, levando esgotamento sanitário para a região. Apesar do inegável potencial turístico era uma enganação falar que poderíamos ter grandes investimentos no local sem o básico, como coleta de esgoto. Em breve esse problema histórico estará solucionado”, anuncia.

Cury também enaltece as melhorias para o meio ambiente e o orla-do-rio-bonito-foto-carlos-pessoa-7impacto social importante que o acordo firmado com a AES possibilitará. “Tínhamos em conjunto um problema de natureza ambiental e de importância social grande que é a ocupação do Porto Said. Para tanto foi assinado um TAC junto ao Ministério Público onde a prefeitura se obrigou a oferecer uma área para remoção dessas famílias. A Prefeitura adquiriu a área e a CDHU entrará com a construção. A AES ajudará com revitalização da orla do Rio Bonito e construção de um bosque para a população da baixada”, confirma o prefeito.

“O problema dos pescadores é uma questão de natureza humanitária. Eles vivem em condições sub-humanas, sem saneamento, em uma área ocupada irregularmente. A AES teve a sensibilidade de buscar uma solução que não fosse a mera reintegração de posse da área. A ideia é deixá-los próximos ao rio em condições de moradia digna”, completa.

Lanchonete

lanchonete-e-areas-de-lazer-do-rio-bonito-foto-carlos-pessoa-2Outra novidade que em breve será colocada à disposição dos frequentadores do Rio Bonito é a estrutura que estava abandonada no antigo camping e que passa por reforma completa. Por anos o local esteve completamente abandonado, transformando-se em um ponto de descarte de lixo e consumo de drogas. As construções estavam em ruínas devido a ação de vândalos.

O espaço contará com portaria, ampla lanchonete, sanitários e um conjunto de quiosques equipados com pia e churrasqueira. A ideia da Prefeitura é abrir processo licitatório para que a iniciativa privada explore o local e se responsabilize por sua manutenção.