Obra inicia plano de microdrenagem para evitar alagamentos

A obra de ampliação da dissipação de águas das chuvas realizada na Rua Vitor Atti, Vila dos Lavradores, região Norte de Botucatu, deve ser concluída nos próximos dias. Ela é a primeira etapa do projeto de microdrenagem urbana proposta pela Prefeitura para a Rua Tenente João Francisco que, futuramente, poderá receber galerias em sua extensão.

A Rua Vitor Atti, importante trecho de ligação com o Jardim Paraíso, há algum tempo sofre com alagamentos proporcionados pela grande quantidade de água das chuvas que desce principalmente pela Tenente João Francisco, o que consequentemente gerava transtornos a pedestres e motoristas.

Os trabalhos são executados pela empresa J. Nassif Engenharia e Comércio Ltda., vencedora do processo licitatório com a proposta no valor de R$ 787.323,45. Desse total de investimentos, R$ 553.136,41 são provenientes do Ministério das Cidades e outros R$ 234.187,04 vêm dos cofres da Prefeitura.

Foram implantados 271,8 metros lineares com tubulações de 1.500 mm e 2.000 mm de diâmetro e oito caixas de ligação do sistema que terá capacidade de suportar um volume de 15 metros cúbicos de água por segundo. Do total do ramal, 19,32 metros foram instalados de maneira não destrutiva, por baixo de três linhas de trens localizadas na região.

“Assim, toda água que se acumulava em frente ? Guarda Civil Municipal, por conta do pouco espaço planejado para sua vazão, será direcionada por galerias maiores. Ela passará por toda linha da antiga estação da Fepasa e será direcionada a um córrego através de uma escadaria de concreto que tem o objetivo de diminuir a velocidade e força dela”, explica o secretário municipal de Planejamento, Caco Colenci.

Por demandar este tipo de serviço específico, a Prefeitura teve que obter autorização da AAL Logística, que tem a concessão da malha ferroviária no Estado, além de se comprometer junto ao Governo Federal em promover divulgação da obra ? comunidade que mora no entorno da Rua Tenente João Francisco.

{n}Micro e macrodrenagem urbana{/n}

A obra na Vila dos Lavradores faz parte de um plano de microdrenagem urbana planejado pela Prefeitura de Botucatu, que tem feito o levantamento dos pontos mais críticos da Cidade que sofrem com alagamentos.

No ano passado, com recursos próprios do Município, a Prefeitura construiu mais de 2,8 mil metros lineares de redes pluviais em vários pontos de Botucatu como na Rua Conselheiro Rodrigues Alves, no Centro; Avenida Universitária e Rua Mariana Jaqueta Santos, na Chácara dos Pinheiros; Avenida Mário Barberis, na Cohab 1; Rua Plácido Rodrigues Venegas, no Jardim Paraíso 1; Estrada dos Oyan, no Jardim Palos Verdes, entre outros.

Além das galerias na Avenida Julio Vaz de Carvalho, no Jardim Eldorado, viabilizadas através de convênio com o Governo do Estado, o Poder Público pretende concretizar importantes obras de dissipação das águas pluviais na Rua Dr. Jaguaribe, Vila Nossa Senhora de Fátima, e na Rua Joaquim Barreiros, Vila Nogueira. Ambos os projetos aguardam autorização do Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), vinculado ao Governo do Estado.

Paralelamente, a Secretaria Municipal de Planejamento, tenta acelerar os processos de construção dos cinco reservatórios de amortecimento das águas, que fazem parte do plano de macrodrenagem urbana. São eles: Lavapés (área ao lado da Rodovia Gastão Dal Farra); Água Fria (área localizada na bifurcação entre as ruas Joaquim Marins e da Amizade, região do bairro Recanto Azul); Cascata (terreno ao lado do Residencial Spazio Verde, defronte ? Rodovia Marechal Rondon); Antártica (área defronte ao final da Rua 1º de Maio); e Tenente (próximo ao Conjunto Habitacional Amando de Barros Sobrinho, na região da Vila Cidade Jardim).

Atualmente, os projetos dos piscinões se encontram na fase de análise básica que antecedem a autorização dos projetos executivos. Eles darão a real dimensão e custos de cada obra, que deverão ser licitadas a partir de 2013.