Justiça do Trabalho autoriza abertura noturna do comércio

A queda de braço entre os dois representantes sindicais sobre a abertura em horário especial deu-se em razão do reajuste salarial, que vem sendo negociada desde setembro, sem que o acordo fosse consolidado

 

O juiz titular da Vara do Trabalho de Botucatu, Sandro Valário Bodo,  indeferiu a ação cível pública impetrada pelo Sindicato dos Empregados no  Comércio de Botucatu – Sincomerciários,  contra o Sindicato do Comércio  Varejista – Sincomércio, sobre a abertura do comércio no horário noturno nos dias que antecedem o Natal, para aquecer as vendas.  O comércio local iniciou a abertura noturna na última segunda-feira.

A queda de braço entre os dois representantes sindicais sobre a abertura em horário especial deu-se em razão do reajuste salarial, que vem sendo negociada desde setembro, sem que o acordo fosse consolidado. O Sincomerciários,  que tem na presidência Carlos Negrisoli, quer o reajuste imediato de 9,88%, enquanto o Sincomércio representado por Fátima Baldini, quer o reajuste dividido em duas vezes (setembro de 2014 e fevereiro de 2016).

Essa “briga”  entre os dois sindicatos vem se repetindo nos últimos anos e as negociações sempre se mostram conflitantes, cada qual procurando espelhar suas razões e defendendo os interesses da classe que representam  e, por isso, duram vários meses, até que o acordo seja construído.  Este ano não foi diferente sendo necessário o parecer da Justiça do Trabalho para resolver o impasse.

Nessa questão de abertura do comércio o Sincomércio avaliou que, como a convenção de 2015 ainda não foi assinada, vale a de 2014, que regulamenta a abertura do comércio no horário noturno e as folgas obrigatórias aos funcionários.  Já o Sincomerciários contesta alegando que, sem o acordo ser firmado para 2015, os funcionários do comércio não são obrigados a trabalhar fora do expediente especificado em lei.