Juiz/diretor acompanha processo de construção do Fórum

O juiz Josias Martins de Almeida Júnior, 30 (foto), titular da 1ª Vara Criminal e da Vara da Infância e Juventude, que assumiu a direção do Fórum da Comarca de Botucatu há pouco mais de um mês, revela que está acompanhando, atentamente, todo o processo da construção do prédio do novo Fórum, no Jardim Riviera.

Desde a interdição do prédio da Praça Rui Barbosa, há vários anos, as Varas e os demais departamentos forenses foram separados e passaram a funcionar em diferentes pontos da cidade. Isso vem causando sérios transtornos ? população, advogados, funcionários, promotores e magistrados. Com a entrega do novo prédio, prevista para abril de 2011, todos os departamentos forenses voltarão a se concentrar num único prédio.

“Posso dizer que Botucatu está numa fase de conquistas. Estamos ansiosos e contentes com a construção do novo Fórum, depois de anos de lutas de muitas pessoas junto ao governo do Estado para termos esse novo Fórum, de alta tecnologia e complexidade que, além das varas existentes, poderá abrigar mais outras duas Varas”, coloca o magistrado.

Prevê o juiz/diretor que acompanhar a construção desse prédio, será uma tarefa complexa que deverá envolver não só a direção do Fórum, como também, outros setores da sociedade botucatuense. “Temos certeza de que, contando com apoio dos colegas magistrados, serventuários, Prefeitura e Câmara Municipal, Ministério Público, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Subsecção de Botucatu, entre outras instituições, poderemos comandar esse processo sem maiores problemas”, prevê Josias.

Segundo o diretor do Fórum, a expectativa é muito grande já que o modelo do novo prédio vai oferecer uma qualidade de serviço muito superior ? população e aos que prestam serviços ao Fórum ou que se utilizam dele, já que terão uma estrutura adequada para trabalhar. “Será um novo marco na jurisdição de Botucatu, uma vez que o prédio oferecerá melhores condições de promover um atendimento diferenciado ? população, que espera de nós a aplicação da verdadeira Justiça”, aponta o magistrado.

Com relação ? distribuição das Varas da Comarca, o juiz/diretor relata que vai resolver essa questão junto com seus colegas magistrados. “O prédio tem um modelo pré-definido e planejado, contando com as Varas e os respectivos cartórios, além dos outros departamentos forenses. Então, não acredito que teremos problemas na distribuição das Varas, mas pretendo desenvolver esse processo em consenso com meus colegas magistrados para que juntos definamos o lugar de cada um”, concluiu o magistrado.

Foto: Fernando Ribeiro