Instituto avalia pontos de alagamentos na cidade

Botucatu recebeu a visita de um especialista do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT). Trata-se de uma vistoria técnica com objetivo de analisar os principais pontos de alagamento do Município.  A Cidade se encontra em um grupo escolhido pelo Governo do Estado de São Paulo para receber tais avaliações. Em seguida será elaborado um laudo definitivo, o qual será repassado tanto à Defesa Civil do Estado quanto à Defesa Civil do próprio Município. 

A proposta é auxiliar as prefeituras escolhidas a planejar as melhores maneiras possíveis de combate aos alagamentos. Além disso, o estudo atribuirá graus aos riscos presentes em cada uma das regiões visitadas.

As áreas averiguadas em Botucatu incluem: a Serra de Botucatu e a estrada Jácomo Langelli, próxima ao bairro de Santo Antônio do Sorocaba, no setor rural. No setor urbano foram percorridas áreas próximas ao Rio Lavapés (Rua Ulisses Rossi Grassi e Rua Santos Dumont), Terminal Rodoviário, na confluência entre os córregos Água Fria e Tanquinho e na Rua Antônio Américo Coutinho. 

Além da possibilidade de inundações, outros problemas foram levantados como o assoreamento e erosões. Também foi feita a vistoria do córrego localizado na Rua Antônio Raimundo dos Santos, no Distrito de Rubião Júnior, onde uma cratera se formou em razão das constantes chuvas das últimas semanas.

A Prefeitura de Botucatu já realiza um grande número de ações para combater os alagamentos, como a instalação de diversas galerias nos pontos afetados, o desassoreamento e a recomposição das margens, além da prevenção e orientação dos munícipes que residem em locais próximos aos mais afetados.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil, Paulo Renato da Silva, apesar de tudo que vêm sendo feito, a avaliação do IPT é importante, pois permite um melhor planejamento tanto de trabalho como dos investimentos do Poder Público. 

“Para nós essa vistoria é importante não apenas na questão de melhoria de planejamento de ações definitivas nas áreas mais afetadas, mas o laudo mostrará ao Governo do Estado as necessidades de certos investimentos”, avalia.

 

Piscinões

Vale lembrar que a Prefeitura de Botucatu tem conduzido o projeto da construção das cinco barragens (popularmente conhecidas como “piscinões”) para amortecimento das águas de chuvas. Ele é financiado com recursos a fundo perdido do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). O convênio assinado tem valor total de R$ 39.807.839,44. 

Os piscinões serão construídos junto aos córregos Lavapés  (área ao lado da Rodovia Gastão Dal Farra); Água Fria (área localizada na bifurcação entre as ruas Joaquim Marins e da Amizade, região do bairro Recanto Azul); Cascata (terreno ao lado do Residencial Spazio Verde, defronte à Rodovia Marechal Rondon); Antártica (área defronte ao final da Rua 1º de Maio); e Tenente (próximo ao Conjunto Habitacional Amando de Barros Sobrinho, na região da Vila Cidade Jardim).

Os projetos executivos mais avançados são dos piscinões do Lavapés e Cascata, que estão em processo final de avaliação pela Caixa Econômica Federal. A intenção do Poder Público Municipal é iniciar a licitação para as obras ainda neste primeiro semestre.