Incubadora de Botucatu comemora modernização e nova fase

Na manhã desta sexta-feira (19) foi promovido um encontro no Núcleo de Desenvolvimento Empresarial – Incubadora Botucatu para apresentação das melhorias executadas com vistas à modernização das instalações do espaço. Ele é mantido por meio de uma parceria entre a Prefeitura de Botucatu e o Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), sob gestão da ADET – Associação para o Desenvolvimento Empresarial e Tecnológico de Botucatu e região, com apoio do Sebrae/SP. 

Esteve presente neste encontro o prefeito de Botucatu, João Cury Neto; secretário municipal de Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Edison Baptistão; diretor regional do CIESP (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), Samir Abdallah; presidente da Associação para o Desenvolvimento Empresarial e Tecnológico de Botucatu e região, Cláudio Vieira; Neia França, consultora do Sebrae-SP; e empresários que atuam ou já passaram pela Incubadora.

Inaugurada em 28 de novembro de 1997, a Incubadora de Botucatu tem como proposta apoiar as micro e pequenas empresas em seu estágio inicial de implantação. Desta forma, ela busca reduzir a possibilidade de fechamento prematuro das empresas. Além disso, promove a geração de produtos, emprego e processos inovadores. Mas por muito pouco, a própria incubadora quase fechou suas portas.

Em meio a uma crise após o desligamento do PARQTEC de São Carlos, os empresários incubados resolveram, em caráter temporário, assumir a gestão do projeto, com anuência da Prefeitura e do Ciesp. O caminho encontrado foi a criação da ADET, entidade formada por empresários locais, que em fevereiro de 2011 assumiu oficialmente a tarefa de fazer a gestão da Incubadora. 

O novo modelo criado não apenas permitiu a continuidade das atividades como também possibilitou uma série de investimentos. Entre as principais melhorias estão: substituição do telhado, reparos no sistema de energia elétrica, pavimentação do estacionamento com demarcação de vagas, construção e adequação dos muros, reboco do galpão, melhorias nas calçadas laterais, substituição dos alambrados por telas, pintura completa e nova comunicação visual.

De acordo com Claudio Teixeira, presidente da ADET, já passaram pela Incubadora de Botucatu 53 empresas em quase 19 anos de existência do local. “A Incubadora é essencial para esse acolhimento das micro e pequenas empresas, dando a elas sobrevida no mercado. E mesmo com a crise que o País vive, muitos têm procurado a Incubadora para abrir seu próprio negócio. Em paralelo, encontramos na Prefeitura, Ciesp, Sebrae, além das empresas parceiras e associadas, todo suporte necessário”, afirma.

O prefeito João Cury enalteceu toda articulação planejada para a manutenção e desenvolvimento da Incubadora e anunciou novos investimentos na indústria. “Estamos com a previsão de começar a ocupar o Distrito 4 ainda este ano. São cerca de 130 lotes distribuídos em 350 mil metros quadrados, ao lado do Distrito 3. Queremos que estas áreas sejam ocupadas preferencialmente por empresas que estão saindo da Incubadora e da própria Cidade, criando uma verdadeira corrente do bem para o desenvolvimento sustentável de nossas indústrias, com mais geração de emprego e renda para a Cidade”, informa.

Quem está começando e quem está crescendo

Esse trampolim já está sendo feito por algumas empresas. É o caso da Basecol Mix, que atua na produção de suplementos alimentares à base de colágeno. Henrique Malatrasi, um dos proprietários da empresa conta que saiu da Incubadora em 2011 para um galpão no Parque Marajoara.

Hoje, com a produção de 70 tipo de itens, entre chás, sucos, balas e shakes, ele se orgulha  do novo prédio de 3 mil metros quadrados que deverá concluir em breve no Distrito Industrial 3, área cedida pelo poder público municipal. “Quando cheguei na Incubadora não tinha praticamente nada, mas recebi todo apoio para crescer. Hoje tenho 15 funcionários, mas a intenção é pelo menos dobrar esse número na nossa futura sede”, comenta o empresário, que já distribui produtos aos quatro cantos do Brasil.

Enquanto tem gente que já saiu da Incubadora, tem empreendedor novo querendo buscar seu espaço no mercado. Carlos Alberto Theodoro Siqueira é farmacêutico e doutor em biociência e tecnologia de produtos naturais. Acertando os últimos detalhes para iniciar a produção de cosméticos para uso animal, como xampus e condicionadores para cães e gatos, ele se impressionou com a estrutura encontrada na Incubadora de Botucatu. “A recepção foi excelente. Aqui encontrei tudo o que precisava e com certeza meu investimento inicial da empresa seria o triplo fora da Incubadora”, compara.

Sobre a Incubadora

O prédio da Incubadora tem aproximadamente 1.250 m², com dez boxes de 80m² cada. As empresas incubadas têm acesso a serviços internet, sanitários, refeitórios, sistema de monitoramento 24 horas e sala de reuniões.

Além da infraestrutura, a Incubadora oferece: acompanhamento no gerenciamento do negócio; gestão financeira e de custos; orientação à comercialização de produtos e para acesso a linhas de crédito; assessoria na busca de novas tecnologias e informações técnicas; treinamentos e assessorias especializadas; e orientação jurídica. Para fazer parte da Incubadora, o interessado deve apresentar um projeto para iniciar o empreendimento em sua fase de pré-incubação. O período de permanência por empresa é de dois anos.

A maioria dos recursos financeiros necessários para a manutenção, implementação, adequação e divulgação são provenientes da Prefeitura de Botucatu, associados e colaboradores da Adet. Os custos mensais como água, telefone, limpeza, materiais de escritório e pequenas manutenções são rateados entres as empresas incubadas.

Atualmente, oito empresas estão em operação dentro da incubadora. São elas: Pedaços de Aroma Brasil (cosméticos); Saluvita Orgânicos Naturais; (alimentação orgânica); Natureza PET (cosméticos para animais); Electrical Routing do Brasil (chicotes elétricos); Cartel Company (suplemento alimentar); Montec Automação e Controle (painéis elétricos); Amara Blanc (cosméticos); Aços MB Serralheria (metalurgia). Juntas elas geram 32 empregos diretos e faturamento de R$ 750 mil (ano de 2015).

A Incubadora também agrega um grupo de empresas parceiras: Caio Induscar, Irizar do Brasil, Tecnault, LTM, Multicomp, Casa do Construtor, Agroarte, Tempero Maneiro, Acorse, Amaral Assessoria Contábil, Clube de Vantagens, Jornal Diário da Serra, Kroma, Rádio Clube, Rádio Emissora PRF-8, Rádio Municipalista e Site Acontece.

Serviço

Incubadora de Empresas de Botucatu

Rua Joaquim Lyra Brandão, 1.120 – Vila São Benedito

Telefone: (14) 3815-6008 / 3815-1534

E-mail: secretaria@adet.org.br

Site: www.adet.org.br

(Ass. de Imprensa da Prefeitura)