Inaugurada sala do Empreendedor em Botucatu

Fotos: Flávio Fogueral

Prefeitura de Botucatu e Sebrae-SP realizam nesta quarta-feira (17) a cerimônia de inauguração da Sala do Empreendedor. O evento aconteceu na Casa do Cidadão, localizada na Rua Dr. Cardoso de Almeida, 1001, no Centro e contou com as presenças do prefeito João Cury Neto e do diretor-superintendente do Sebrae-SP, Bruno Caetano.

No novo espaço estão disponibilizados orientações e serviços para o micro e pequeno empreendedor e oferecido todo suporte necessário para que a pessoa interessada possa formalizar a empresa de maneira simplificada. Também serão disponibilizadas palestras, cursos e oficinas sobre temas diversos como gestão, finanças e marketing.

O Sebrae-SP deve colaborar de forma direta com as atividades desenvolvidas no local com o desenvolvimento de programas de capacitação dos empreendedores formalizados ou em vias de regularização. Através de palestras, oficinas e cursos, a entidade será importante parceira da Prefeitura neste processo de incentivo econômico.

Para a gerente regional do Sebrae-SP em Botucatu, Silvia Furio, o novo espaço representa mais um auxílio em que Poder Público e entidades terão para o desenvolvimento pleno da atividade econômica no município. “Nos últimos anos o empreendedorismo tem se tornado uma alternativa viável para o desenvolvimento econômico. As cidades que estimularam diretamente suas economias geraram renda e impostos”, ressalta.

Botucatu é um dos três municípios que adotam a Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas, ao lado de Laranjal Paulista e Anhembi. A legislação, em vigor desde 2006, possibilita ambientes de estímulo ao empreendedorismo com a unificação de carga tributária e regras que facilitam a formalização do negócio. “A implantação da Lei Geral, que proporcionou que um número maior de pessoas saíssem da informalidade e tivessem direitos previdenciários, sociais e participassem de forma direta da geração de renda do município”, frisa Silvia.

Botucatu possui 5.640 empresas, sendo que desse total contabilizado o comércio agrega a maior parcela (2995), seguido por serviços (1721), agropecuária (463) e indústria (461). Há o potencial de reunir mais de 10 mil empreendedores individuais (EI), sendo que até março deste ano 1.463 empresários estavam formalizados.

“A inauguração da Sala do Empreendedor representa a concretização do compromisso do Poder Público em prol do desenvolvimento da economia. Ter um espaço especificamente voltado ao auxílio da formalização do empreendedor; é dar condições para que o mesmo esteja preparado para os desafios do mercado que o aguarda. O trabalho agora é fazer com que cada um dos dezoito municípios da região de abrangência do Sebrae em Botucatu conte com este tipo de sala”, frisa Bruno Caetano, diretor superintendente do Sebrae-SP.

Segundo o agente de desenvolvimento econômico da Prefeitura de Botucatu, Marcio Campos, a Sala do Empreendedor já desenvolve suas atividades e tem realizado em média três atendimentos diários. “É um espaço para se formalizar pequenos negócios. A ideia é ter uma equipe para atender o pequeno empresário, onde ele pode se formalizar no dia. Não há custo algum para que ele tenha sua empresa aberta”, ressalta.

Cerca de oito mil empreendedores informais exercem as mais diversas atividades econômicas no comércio e serviços. “São pessoas que estão prestando serviço, mas que se encontram na informalidade. A Sala do empreendedor vai dar uma estrutura para que esse empresário organize o negócio, se formalize e tenha seu CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica)”, complementa Campos.

A Lei Geral das MPEs prevê benefícios para as pequenas empresas em diversos aspectos do dia-a-dia, como a simplificação e desburocratização, as facilidades para acesso ao mercado, ao crédito, o estímulo ? inovação e ? exportação. Com a formalização, o empreendedor pode comercializar com o Poder Público. Possibilita, ainda, o recolhimento de contribuição ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e acesso aos direitos previdenciários previstos em lei.