Governador doa área para Botucatu instalar Escola da Embraer

Um processo que envolve interesses de Botucatu teve um desfecho rápido e altamente benéfico para o município, contrariando até mesmo as previsões mais otimistas. Em pouco mais de 20 dias, a Assembleia Legislativa de São Paulo recebeu, analisou e votou o projeto que permitirá a instalação de uma escola do Instituto Embraer de Educação e Pesquisa em Botucatu.

O tempo foi recorde já que uma das principais barreiras a serem suplantadas no desenvolvimento de qualquer projeto que envolve o poder público é a burocracia. Não são raras as situações em que obras e ações importantes esbarram na vagarosa tramitação de documentos e demoram a sair do papel para beneficiar a população.

No último dia 26 de setembro o governador do Estado Geraldo Alckmin enviou para apreciação dos deputados o projeto de lei nº 930/2011, que autoriza a Fazenda a doar ao município um terreno com 205.333,26 metros quadrados, remanescente da instalação do Hospital Cantídio de Moura Campos, ocorrida na década de 1960. Após entendimentos entre a Prefeitura e a Embraer, o local foi apontado como o mais apropriado para abrigar a construção do novo colégio na cidade.

A necessidade em ver o projeto aprovado rapidamente levou o prefeito João Cury a se reunir pessoalmente com o presidente da Assembleia Legislativa, Barros Munhoz. Acompanhado do Dr. Sérgio Aun, advogado da Embraer, teve a oportunidade de apresentar em detalhes a proposta de instalação do Colégio em Botucatu e ganhou um importante aliado. O prefeito também buscou apoio junto ao líder da bancada do PSDB, deputado Samuel Moreira. Dias depois foi aprovado o regime de urgência para apreciação da matéria, que levada ao plenário foi aprovada no mesmo dia pelos deputados e publicada no Diário Oficial na quarta-feira (19).

“No final da tarde de terça-feira recebi um telefonema do presidente da Assembleia informando que o projeto estava aprovado. Em nome da população de Botucatu agradeço todo o empenho do deputado Barros Munhoz; do líder do PSDB, deputado Samuel Moreira e também do Dr. Sérgio Aun, advogado da Embraer, que foi fundamental desde o início das negociações. Essa articulação foi fundamental para que o projeto fosse aprovado em tempo recorde, criando condições para que o sonho de contar com a Escola da Embraer em Botucatu seja concretizado o mais breve possível”, afirmou João Cury.

O próximo passo será a Prefeitura elaborar um projeto de lei prevendo a doação da área para que a Embraer possa viabilizar a construção do colégio destinado a atender alunos do ensino médio no município. “Estamos trazendo para Botucatu um dos melhores colégios do país. Será uma grande oportunidade para que alunos vindos de escolas públicas possam ter uma preparação de excelência para o vestibular e ingressarem nas melhores universidades do país”, enfatiza João Cury.

{n}Sobre o Colégio Embraer {/n}

Em 2002, o Instituto Embraer de Educação e Pesquisa criou o Colégio Embraer Juarez Wanderley, em São José dos Campos (SP). Atualmente atende a 600 alunos nas três séries do ensino médio, em regime de tempo integral (10 horas/dia – 6.000 horas-aula em 3 anos). Os alunos recebem, gratuitamente, educação de qualidade, alimentação no local, transporte, uniforme e material didático.

Todos os alunos são egressos da rede pública de ensino fundamental e sua admissão é por concurso conduzido pela Fundação para o Vestibular da Universidade Estadual Paulista (VUNESP). Desde que foi criado, os alunos do Colégio tem mantido o nível de 100% de aprovação nos vestibulares, e de 80% de aprovação nas universidades públicas.

Em 2010, o Colégio Embraer conquistou o quarto lugar do Estado de São Paulo no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), avançando quatro posições em relação a 2009, quando se posicionou em oitavo lugar. No ranking nacional, o Colégio aparece como a 30ª melhor escola do País, subindo cinco posições em relação ao ano anterior.