Fundador de Botucatu recebe homenagem

Fotos: Luiz Fernando

 

Entre as festividades comemorativas ao 160º  aniversário de emancipação político-administrativa de Botucatu esteve a visita de autoridades ao Cemitério Portal das Cruzes,  para homenagear o capitão José Gomes Pinheiro,  fundador da Cidade, com a colocação de uma coroa de flores no mausoléu  onde estão  seus restos mortais.

Além do prefeito João Cury Neto, imprensa e secretários de Governo,   marcaram presença no cerimonial, os vereadores Andre Rogério Barbosa – Curumim e Izaias Colino; os membros da Academia Botucatuense de Letras (ABL), Sebastião Mendes e Olavo Godoy;  e o descendente da família do fundador de Botucatu,  Paulo Pinheiro Machado Ciaccia.

Quebrando o protocolo previsto foi feita uma oração em memória do fotógrafo David José Devidé, que faria seu 50º aniversário e nos últimos anos sempre esteve acompanhando as autoridades nesta solenidade. Paulo Ciaccia, descendente do capitão, agradeceu a lembrança da prefeitura em reverenciar a memória do fundador e em retribuição depositou flores no túmulo do ex-prefeito Jamil Cury.

 

O fundador

O capitão José Gomes Pinheiro Vellozo nasceu em 09 de outubro de 1784, na antiga Ilha de Bom Jesus de Paquetá, Província do Rio de Janeiro, e atual Ilha de Paquetá. Era filho de Damião Cosme Albornóz e de Joaquina Roza Gomes Pinheiro Vellozo, portuguesa de nascimento. Damião Cosme Albornoz, de origem portuguesa e nacionalidade espanhola, era construtor de navios.

Ainda jovem, mudou-se para a cidade de Santos para educar-se. Morou em São Paulo, Sorocaba, Itapetininga e Botucatu. Dedicando-se ao comércio, principalmente no negócio de muares. Em 1816, casou-se com Anna Florisbella Machado de Oliveira e Vasconcellos, dando início à família Pinheiro Machado.

Na região de Botucatu, tornou-se proprietário das fazendas Capão Bonito, Morrinhos, Pedras e Monte Alegre, sendo que foi para a última que se dirigiu quando ameaçado de prisão e processo por comprometimento nos atos desenrolados na Câmara de Itapetininga (onde era deputado provincial), quando da revolução do partido liberal, em 1842.

A Monte Alegre incluia a parte central da atual cidade de Botucatu e os Bairros de Lavapés, Cidade Alta e Tanquinho. Foi Deputado Provincial, Oficial das Milícias, Capitão das Antigas Ordenanças do Imperador e Coletor de Rendas Gerais e Provinciais em Itapetininga em 1844.

Gomes Pinheiro era liberal, homem maneiroso e de fina educação. Abrigou em suas fazendas em Botucatu, durante a revolução de 1842, grande número de foragidos de São Paulo e Minas Gerais, pondo-os ao abrigo das perseguições políticas, terminadas com a Anistia Imperial.

Fez doação de terras em 23 de dezembro de 1843 para o patrimônio de uma freguesia que seria fundada sob o orago de Sant’Anna, numa delicada homenagem a sua esposa Dona Anna Florisbella Pinheiro Machado.Tal patrimônio constitui o patrimônio de Sant’Anna, onde viria surgir a cidade de Botucatu.

Faleceu em 08/03/1848, na antiga Freguesia de Nossa Senhora das Dores do Campo Largo, entre Itapetininga e Sorocaba e atual Araçoiaba da Serra. Foi sepultado no interior da Matriz daquela Freguesia pois, estando em viagem para Sorocaba, foi acometido de morte repentina e, como Capitão das Antigas Ordenanças do Imperador, era comum tal procedimento na época.

Seus restos mortais foram traslados para a cidade de Botucatu após o Capitão ter sido definitivamente reconhecido como fundador da cidade. No dia  14 de abril de 1997, sua estátua foi apresentada à população e suas cinzas depositadas em mausoléu da família. Quase três anos depois, em 27 e julho de 2000, os restos mortais de sua esposa Ana Florisbella foram trasladados de São Paulo para Botucatu, graças aos esforços empreendidos pelos seus descendentes.