Com promessa de manutenção de emprego, funcionários da Fundação Casa são dispensados

 

fundacao-casa-2
Foto Acontece Botucatu: Crami foi substituído pela Acop de Bauru na Fundação Casa

Funcionários que prestam serviço na Fundação Casa em Botucatu estão na rua, desempregados. A situação foi evidenciada nesta sexta-feira, 09, quando todos terminaram a jornada de trabalho e foram comunicados da dispensa.

O problema se dá pela troca da ONG que prestava serviço para a Fundação, o Crami, que abrigava todos os funcionários da unidade de Botucatu. Até aí tudo bem, já era de conhecimento dos funcionários.

Mas o que gerou revolta das 30 pessoas que trabalhavam na Fundação Casa, é que havia a promessa de que todos iriam ser recontratados pela Acop, fundação sócio-assistencial de Bauru, o que não ocorreu. A Acop fará a gestão compartilhada a partir de agora.

“ Somos todos ex-funcionários do Crami, cumprimos o aviso prévio cientes dessa mudança, mas com a promessa de que continuaríamos com a nova contratada. O Crami agiu certinho, só temos que agradecer, mas fomos apunhalados pela Acop de Bauru que nos prometeu a manutenção dos empregos. Eles só falaram hoje da dispensa após um dia inteiro de trabalho, pois pressionamos a gerente”, disse um dos ex-funcionários que pediu anonimato ao Acontece Botucatu.

crami-2
Foto Acontece Botucatu: Grupo foi até a Prefeitura buscar ajuda; no total são 30 pessoas desempregadas

São 30 trabalhadores de Botucatu que estão na rua, entre enfermeiros, educadores, pessoas da lavanderia, administrativo, coordenação pedagógica, entre outros cargos. Os funcionários estão na Prefeitura Municipal para tentar falar com o Prefeito João Cury na tentativa de que algo possa ser feito para ajudá-los.

“Não houve preocupação com os adolescentes, pois largaram os jovens lá e eles inclusive estavam sensibilizados com a nossa situação. A Acop não fez nada pela gente, agiu de má fé prometendo o emprego e a Fundação Casa foi cúmplice com isso, nada fez para nos proteger. Todos disseram que iríamos ficar, agora são 30 desempregados. Nem sei se vão pagar esse dia inteiro de trabalho”, relatou outro ex-funcionário que também pediu anonimato.

Outro lado

Veja na íntegra a nota da Fundação Casa:

A assessoria de imprensa da Fundação CASA esclarece que a mudança da ONG CRAMI pela OSC ACOP São Francisco de Assis (Ação Comunitária e Promoção Social) não afetará o atendimento socioeducativo aos adolescentes do CASA Botucatu. A decisão de substituição ocorreu após o chamamento público para gestão compartilhada em função da lei 13019/14, cuja antiga ONG CRAMI não desejou em participar, sendo assim, a atual OSC ACOP decidiu, dentro da legalidade, formar um novo quadro de prestadores de serviço.

Cumprindo integralmente o que está previsto no ECA e no Sinase, das 6h às 22 h, os adolescentes têm uma agenda multiprofissional que inclui atividades de escolarização formal, esporte, cultura, educa ção profissional, além do atendimento de psicólogos e assistentes sociais. Logo quando chegam, os jovens passam por um diagnóstico polidimensional e são trabalhados de acordo com um plano individual de atendimento (PIA). O PIA permite que as reais demandas que o jovem e sua família têm nas áreas social, de saúde e pedagógica sejam focadas especificamente. Portanto, o modelo pedagógico continuará sendo ofertado aos jovens de Batucatu, sendo educação formal, educação profissionalizante, oficinas culturais e atividades esportivas.