Fortes Chuvas geram conflitos em vários pontos da Cidade

Fotos: Luiz Fernando

Na manhã desta quarta-feira (16) as chuvas que desabaram em Botucatu causaram inundações, alagamentos, desmoronamento de terra e desabamentos em diferentes pontos da Cidade. A chuva teve início por volta das 2 horas da madrugada e se intensificou pela manhã. Os atendimentos foram feitos por secretarias da Prefeitura Municipal, Defesa Civil do Município, Guarda Civil Municipal (GCM), Corpo de Bombeiros e Polícia Militar.

Os pontos mais atingidos com alagamentos foram na região do Terminal Rodoviário, Avenida Dante Delmanto, Cohab I, Fazenda Lageado, entre muitos outros. Os rios que cortam a Cidade como o Água Fria (Rodoviária) Lavapés e Tanquinho, transbordaram em diferentes regiões a as águas saíram dos leitos e se espalharam formando enxurradas com uma força incontrolável.

A água também invadiu locais como a Associação Atlética Ferroviária (AAB) e o clube teve várias áreas totalmente alagadas como quadras de tênis, campo sintético de futebol suíço e campo de futebol. O Centro de Atendimento ao Migrante Itinerante e Mendicância (CAMIM), foi bastante atingido pela força da água que invadiu o corredor principal da entidade e atingiu vários quartos. Em determinados locais como na região do Viaduto Bento Natel, a água invadiu residências deixando moradores em pânico.

“Foi uma situação caótica e de muito pavor. Muitas crianças tiveram que ser retiradas das casas. No cruzamento das ruas Garibaldino Pinheiro Machado com a Vicente da Rocha Torres onde eu moro, o rio que vem do Tanquinho transbordou e a enxurrada deixou as casas totalmente alagadas. Teve gente que perdeu tudo”, conta a moradora Daniele Ramos dos Santos.

Outro ponto em que a chuva gerou grande prejuízo foi na Cooperativa Cooperblue, na Rua Maria Rosa Santiago. A lama e água trazidas pelo transbordamento do Rio Lavapés invadiram o galpão danificando máquinas de costura e destruindo matéria prima usada na confecção de peças de jeans.

Além dos transbordamentos dos rios, a Defesa Civil registrou alagamentos e desmoronamento de terra nas rodovias Domingos Sartori; Antônio Butignolli, João Hipólito Martins – Castelinho; Alcides Soares, Gastão Dal Farra, onde foi muito difícil trafegar no início da manhã em razão dos congestionamentos. Em dois pontos da Avenida Raimundo Putti, o muro que separa o Distrito de Rubião Júnior da Unesp, desabou.

A Defesa Civil do Município está fazendo um levantamento dos prejuízos causados pelas chuvas. O estrago só não foi maior em razão de não ter ventos, que poderiam derrubar árvores e destelhar casas. “A intensidade da chuva foi bastante acentuada. Apesar dos prejuízos materiais não registramos casos de pessoas feridas e tivemos atenção especial com famílias que moram em situação de risco”, destacou o coordenador da Defesa Civil, Paulo Renato da Silva, que durante a semana passada alertou sobre a possibilidade de uma forte chuva atingir o Município, o que acabou acontecendo.