Fiéis de Botucatu já contam com a Igreja do Divino Pai Eterno

Por: Quico Cuter
Fotos: Valéria Cuter

Uma grande festa católica foi realizada na manhã desse domingo (17) com a inauguração da segunda Igreja do Divino Pai Eterno do Brasil, que passa a funcionar na sede do Centro Comunitário no Jardim Monte Mor/ Jardim Iolanda, na Rua Leonilda Varoli Faconti, nº 19. A outra igreja fica na Cidade de Trindade, em Goiás, tendo como responsável o padre Robson de Oliveira Pereira, reitor do Santuário Basílico do Divino Pai Eterno e membro da Congregação dos Missionários Redentoristas.

A igreja fundada em Botucatu será agregada ? Paróquia Sagrado Coração de Jesus, da Vila dos Lavradores, administrada pelo monsenhor José Lorusso (Zezinho) e o sermão de inauguração foi feito pelo Arcebispo Dom Maurício Grotto de Camargo. Vários sacerdotes e centenas de pessoas ligadas aos mais diferentes segmentos de Botucatu marcaram presença. O número de pessoas foi tão acentuado que foi necessário montar uma tenda ao lado da igreja para abrigar as pessoas que vieram prestigiar a inauguração e assistiram a solenidade através de um telão.

Em seu discurso o Arcebispo de Botucatu não deixou de elogiar o trabalho realizado pelo Monsenhor Lorusso para construir a igreja e lembrou seu passado desde quando decidiu ser padre, contrariando o desejo da própria família. “O monsenhor Zezinho veio de uma família muito rica e abandonou tudo para seguir sua vocação sacerdotal, para se tornar um missionário autêntico”, disse o Arcebispo, sendo muito aplaudido. Nesse momento monsenhor Zezinho não segurou as lágrimas e chorou muito.

Pouco depois, já refeito da forte emoção, o monsenhor enalteceu o envolvimento das pessoas que estiveram nessa empreitada e a comunidade católica, de uma forma geral. “Não devia falar isso, mas quero dividir isso com vocês. Foram gastos mais de R$ 650 mil para executar essa obra e todo dinheiro veio, exclusivamente, do dízimo da comunidade e não estamos devendo nada pra ninguém. Nós plantamos a semente e agora estamos colhendo os frutos. Essa igreja será o ponto de alegria e felicidade para todos”, frisou.

Uma das pioneiras desse projeto junto com o monsenhor Zezinho foi Nilza Rodrigues Lima. Ela voltou ao tempo para revelar que no local onde a igreja foi construída havia um abacateiro. “Foi ? sombra dessa árvore onde escondíamos do sol que tudo isso começou com a construção do nosso Centro Comunitário. Nós amassamos muito barro para construir o Centro e não dá para falar da emoção que todos nós estamos sentindo hoje em inaugurar a Igreja do Divino Pai Eterno”, disse Nilza Lima.

O presidente da Câmara Municipal de Botucatu vereador Ednei Carreira relatou que a construção da igreja mostra a força da união de uma comunidade. “Esse exemplo dos moradores dessa região da Cidade e a abnegação do padre (monsenhor) devem ser seguidos. Mais uma vez está comprovado que a união faz a força”, destacou Carreira.

{tam:25px}Devoção ao Divino Pai Eterno{/tam}

A devoção ao Divino Pai Eterno teve início por volta de 1840, com o casal de agricultores Constantino Xavier Maria e Ana Rosa de Oliveira. Eles vieram se estabelecer nas proximidades do Córrego do Barro Preto, distante aproximadamente vinte e dois quilômetros do município de Campininha das Flores (Hoje “Campininha das Flores” é o bairro de Campinas, de onde se originou a cidade de Goiânia, capital do Estado de Goiás).

Constantino, um homem muito religioso, sua esposa também era, começou a trabalhar na terra para plantação. Certo dia, enquanto eles lidavam no campo, a enxada tocou em algo rígido que não era pedra. Ao conferir, notaram ser um medalhão belíssimo de barro, com tamanho em torno de meio palmo de circunferência, e onde estava representada a Santíssima Trindade coroando a Virgem Maria. Eles beijaram o medalhão sagrado e o levaram para casa.

Constantino e seus familiares começaram a rezar o terço, principalmente aos finais de semana. Numerosos prodígios, graças e milagres começaram a acontecer. A notícia se espalhou e aos poucos outros moradores locais passaram a rezar juntos ao Divino Pai Eterno.

O número de devotos foi crescendo e a casa de Constantino já não comportava tanta gente. Por volta de 1843 foi construída uma capela de folhas de buriti, mas esta também ficou pequena. O Casal então doa um terreno ? s margens do córrego Barro Preto e todos construíram uma nova capela.

Constantino encomendou uma réplica da figura encontrada no medalhão, em tamanho maior e esculpida em madeira, ao artista plástico Veiga Valle, que morava em Pirenópolis – GO. Daí surgiu a imagem venerada em Trindade: Pai, Filho e Espírito Santo coroando, solenemente, a Virgem Maria. Esta imagem feita pelo famoso artista goiano pode ser vista ainda hoje no Santuário Velho, também conhecido como Igreja Matriz de Trindade.