Festa de São José acontece nessa sexta-feira

A tradicional Festa de São José 2010, deverá atrair um grande número de pessoas devotas ao santo, durante toda esta sexta-feira, dia oficial em que se comemora o Dia de São José. A organização da festa é do padre Marcelo Henrique do Prado, que conta com colaboração de toda comunidade que frequenta a igreja.

As festividades se iniciam logo ? s 6 horas da manhã, quando acontece a alvorada de fogos, com repique de sinos em homenagem ao padroeiro. Já ? s 7 horas acontece a missa dos devotos de São José e dos oprimidos.

A capela permanecerá aberta durante o dia inteiro para visitação pública e rezas. A partir das 9 horas os fiéis poderão participar da recitação ininterrupta do terço, que se estende até ás 17 horas. O terço só é interrompido ? s 15 horas quando é rezada a missa com a benção dos enfermos.

O momento mais aguardado da festa é a Procissão Luminosa, onde os participantes percorrem várias ruas que circunlam a igreja, A procissão saí da praça da igreja, desce pela Rua Prudente de Moraes, alcança a Rodrigo do Lago, entra na Rua Manoel Fernandes Cardoso, chega até a Avenida Dom Lúcio, retorna para a Rua Prudente de Moraes e encerra na igreja, onde o padre Marcelo reza a missa, para fazer a benção final.

{n}Um pouco da história{/n}

Celebramos, no dia de hoje, a festividade do dia de São José, o pai de Jesus. A Igreja celebra, em comunhão com a vida de Cristo e a virgindade eterna de Maria, a alegria daquele que é, para nós, exemplo de castidade. São José era da tribo de Judá, filho de Jacó. É isso o que nos fala Mateus: “Jacó gerou José, esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, que é chamado Cristo” (Mt 1,16). Então, podemos falar que São José é pai de Jesus. Sabendo que pai é também aquele que exerce as funções de pai, São José foi aquele que ‘criou’ Jesus Cristo na sua infância e o protegeu, como pai, dos terrores mundanos.

A característica principal de São José, que é aquele modelo de amor e santidade, é a sua castidade. Isso nos faz refletir um pouco sobre o sentido da castidade e o que é ela. Como pecadores, humanos e indigentes, ainda não vivemos a plenitude da santidade, o que não quer dizer que isso seja impossível. São José é modelo, pois, nos mostra que é sempre possível viver a perfeita castidade.

Castidade. sf. 1. Qualidade de casto. 2. Abstinência de relações sexuais.
Segundo o Dicionário Aurélio, a definição de castidade é de abstinência de relações sexuais. E será que é esse mesmo o significado da castidade? Sim. Definitivamente, vamos analisar mais profundamente, em seu sentido teológico, esse aspecto que tanto qualifica José, pai de Jesus.

Qualificar a castidade como pura e simplesmente uma abstinência de sexo, dá-nos entender que o sexo é algo ruim, quando, a relação sexual é um dom de Deus. Por que abster-se de algo que é tão bom, que vem de Deus? É preciso compreender o sentido da abstinência. A relação sexual, quando vivida fora do casamento, está errada, portanto, nesse caso, a abstinência está mais do que correta. No casamento, a abstinência tem o sentido de penitência e sacrifício, de unir as dores do casal, ao ser temperante, ao amor de Deus santificante. Viver a castidade, então, é CONTROLE e SACRÍFICIO, adjetivos muito raros em nossa vida, conseqüência da nossa falta de temperança.

Mas, a castidade não está somente associada ao fator “relação sexual”. Tudo aquilo que distorce o ato instituído por Deus e o transforma numa sexualidade desregrada é ofensa ? castidade. É errado pensar que somente quem é padre é chamado ? castidade. A Igreja confessa, sob o Espírito Santo, que “todo batizado é chamado ? castidade” (CIC 2348). Logo, o batizado que ofende sua castidade está pecando, muitas vezes, gravemente.

{n}As ofensas ? castidade{/n}

2351. A luxúria é um desejo desordenado ou um gozo desregrado de prazer venéreo. O prazer sexual é moralmente desordenado quando procurado por si mesmo, isolado das finalidades da procriação e da união.

2352. Por masturbação entende-se a excitação voluntária dos órgãos genitais, para daí retirar um prazer venéreo. «Na linha duma tradição constante, tanto o Magistério da Igreja como o sentido moral dos fiéis têm afirmado sem hesitação que a masturbação é um ato intrínseca e gravemente desordenado». «Seja qual for o motivo, o uso deliberado da faculdade sexual fora das normais relações conjugais contradiz a finalidade da mesma». O prazer sexual é ali procurado fora da «relação sexual requerida pela ordem moral, que é aquela que realiza, no contexto dum amor verdadeiro, o sentido integral da doação mútua e da procriação humana».

Para formar um juízo justo sobre a responsabilidade moral dos sujeitos, e para orientar a ação pastoral, deverá ter-se em conta a imaturidade afetiva, a força de hábitos contraídos, o estado de angústia e outros fatores psíquicos ou sociais que podem atenuar, ou até reduzir ao mínimo, a culpabilidade moral.

2353. A fornicação é a união carnal fora do matrimônio entre um homem e uma mulher livres. É gravemente contrária ? dignidade das pessoas e da sexualidade humana, naturalmente ordenada para o bem dos esposos, assim como para a geração e educação dos filhos. Além disso, é um escândalo grave, quando há corrupção dos jovens.

2354. A pornografia consiste em retirar os atos sexuais, reais ou simulados, da intimidade dos parceiros, para exibi-los a terceiras pessoas, de modo deliberado. Ofende a castidade, porque desnatura o ato conjugal, doação íntima dos esposos um ao outro. É um grave atentado contra a dignidade das pessoas intervenientes (atores, comerciantes, público), uma vez que cada um se torna para o outro objeto dum prazer vulgar e dum lucro ilícito. E faz mergulhar uns e outros na ilusão dum mundo fictício. É pecado grave. As autoridades civis devem impedir a produção e a distribuição de material pornográfico.

2355. A prostituição é um atentado contra a dignidade da pessoa que se prostitui, reduzida ao prazer venéreo que dela se tira. Quem paga, peca gravemente contra si mesmo: quebra a castidade a que o obriga o seu Batismo e mancha o seu corpo, que é templo do Espírito Santo (102). A prostituição constitui um flagelo social. Envolve habitualmente mulheres, mas também homens, crianças ou adolescentes (nestes dois últimos casos, o pecado duplica com o escândalo). É sempre gravemente pecaminoso entregar-se ? prostituição; mas a miséria, a chantagem e a pressão social podem atenuar a imputabilidade do pecado.

2356. A violação designa a entrada na intimidade sexual duma pessoa ? força, com violência. É um atentado contra a justiça e a caridade. A violação ofende profundamente o direito de cada um ao respeito, ? liberdade e ? integridade física e moral. Causa um prejuízo grave, que pode marcar a vítima para toda a vida. É sempre um ato intrinsecamente mau. É mais grave ainda, se cometido por parentes próximos (incesto) ou por educadores contra crianças a eles confiadas.

Fonte: Catecismo da Igreja Católica

{n}Somos chamados a tomarmos como exemplo glorioso São José para que possamos alcançar, dessa forma, a plenitude da castidade, algo (confesso) muito difícil para nós, humanos. Vamos orar bastante, pois, perseverantes na oração, nada pode nos vencer.
São José, a vós vosso amor. Sede nosso bom protetor! Aumentai o nosso fervor.
São José, rogai por nós!{/n}

Foto: Jornal Acontece Botucatu