Feira do Emprego é realizada no Espaço Cultural

O Espaço Cultural “Antônio Gabriel Marão”, que fica na Avenida Dom Lúcio, recebeu um grande número de pessoas neste sábado (29) na realização a 1ª Feira do Emprego, promovida pela Prefeitura Municipal de Botucatu.

Diferentes empresas especializadas em recursos humanos estiveram presentes, dando orientação, coletando currículos e prestando serviço de formação, seleção e profissionalização de profissionais, possibilitando fazer o estreitamento de contato entre o empregado e o empregador. Vários representantes de sindicatos estiveram presentes, assim como pessoas ligadas ao Senai, Fatec, Etec, Sesi, Sebrai, entre outras.

“O objetivo desse programa é oferecer informações para que o cidadão consiga direcionar sua busca dentro do mercado de trabalho, capacitando-o profissionalmente para atender as demandas da empresa empregadoras e agências de recursos humanos na busca pelo profissional especialista, elevando a competitividade. Acredito que muitas pessoas que hoje aqui vieram conseguirão uma vaga no mercado de trabalho”, colocou o secretário adjunto do Comércio e Serviços, Antônio Carlos Stein.

Ele adianta que a receptividade popular ultrapassou as expectativas e outros programas como esse deverão ser desenvolvidos. “O que pudermos fazer para aquecer o mercado de trabalho na Cidade, iremos fazer”, disse. “E nossa intenção é levar isso aos bairros com o nosso Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) móvel, ou seja, um veículo com pessoas qualificadas estarão percorrendo a cidade a partir do próximo dia 7 de maio. A primeira visita será no Bairro de Anhumas, para dar orientação e coletar currículos”, emenda Stein.

Segundo um livreto distribuído aos visitantes, “o mercado de trabalho espera identificar um profissional que possua características, habilidades e potencialidades pessoais e profissionais que atenda o perfil da empresa.

É levado em conta o conhecimento (escolaridade, cursos e especializações); habilidades (experiência nos conhecimentos técnicos práticos); atitudes e comportamento (flexibilidade, proatividade, criatividade, habilidade de relacionamento interpessoal, com foco em resultados, etc).

{n}Os candidatos{/n}

O interessante é que os candidatos a uma vaga de emprego, procuraram deixar seus currículos em todas as agências de recursos humanos que estavam com seus postos montadas no local. Alguns desempregados há dias, meses ou até anos, outros empregados, mas buscando uma melhor oferta de trabalho.

“Trabalho no comércio, mas sou formado em administração de empresas e vim aqui tentar um trabalho melhor. Deixei meu currículo e vou ficar na expectativa de ser chamado”, disse Rogério Nunes, 32. Já Otávio Legore Cardoso, 44, está se virando como pode. “Sou motorista e estou sem registro na carteira há seis meses e trabalhando “por conta” (vendedor autônomo), mas isso é ruim porque a gente não tem nenhum direito (trabalhista). A gente tem que tomar muito cuidado para não sofrer nenhum tipo de acidente”, observou.

Amélia de Mattos Luiz apresentou seu currículo com a esperança de ser contratada para trabalhar em um estabelecimento comercial da Cidade. Com 24 anos ela retornou aos estudos com o objetivo de se formar assistente social. “Posso ser balconista, caixa ou empacotadora. O que não posso é ficar sem trabalhar até completar os meus estudos”, frisa.

Ser contratada como secretária é o objetivo de Rute Cristina Amaro de Oliveira, de 30 anos. Foi com esta intenção que ela entregou cinco currículos para cinco empresas diferentes. “Se eu não conseguir ser encaixada em uma (empresa de recursos humanos), posso conseguir em outra. O que não posso é ficar parada esperando o emprego cair do céu”, ensina.

Fotos: Quico Cuter