Família de modelo que morreu na Indonésia pede doações para trazer o corpo de volta ao Brasil

A família do modelo pardinhense Leon Capeluppi, de 24 anos, morto neste domingo, 08, em Jacarta na Indonésia, está fazendo uma campanha para arrecadar fundos para os translado do corpo até o Brasil. Em conversa com pessoas próximas, foi constatado que a família não dispõe de recursos para o transporte.

No Facebook a prima do modelo lançou uma campanha de doações, para arcar com os custos da longa e onerosa viagem. Os dados bancários colocados à disposição são os seguintes:

 

Banco Santander
Ag: 0377 
Conta/Poupança: 600030987
CPF: 441.327.598-57 
Brunelli Paes de Almeida

Segundo a mensagem compartilhada pelo facebook, as dúvidas podem ser sanadas diretamente com Brunelli Paes através da rede social.

 

Relembre o caso

Leon Capeluppi de 24 anos morreu no domingo, 8, em Jacarta, capital da Indonésia. Ele iniciou os trabalhos em Botucatu na agência de modelos da fotógrafa Malu Ornelas. Leon passou nos últimos dias e foi internado em um hospital da cidade com suspeita de dengue, porém, com a evolução do quadro, os médicos passaram a suspeitar de malária.

 Os amigos do jovem criaram uma “vaquinha” virtual para ajudar nos custos hospitalares. “Por favor, ajudar a salvar Leon Lopes Capeluppi. Diagnosticada pela primeira vez com a dengue, a doença dele cresceu e agora eles dizem que poderia ser MALÁRIA. Ele está na unidade de terapia intensiva !!! Seu coração está dilatado e não está funcionando corretamente”, disse o autor da vaquinha virtual.

Ainda segundo o texto, o jovem estava sedado já que a dor era muito forte. Os custos da internação ficariam em torno de R$ 25 mil.

A reportagem do Acontece Botucatu conversou por telefone com a prima de Leon, Sulei Dionizio de Barros. Segundo ela, foi confirmada a causa da morte como dengue hemorrágica. “O hospital só liberaria o corpo depois que a causa fosse descoberta. O coração dele estava inchado e hoje cedo (segunda) eles atestaram que foi dengue hemorrágica e não malária, como estavam suspeitando”, explicou Sulei.

O jovem estava em Jacarta desde janeiro, sendo esta a terceira vez que ele realizava trabalhos como modelo naquele país. “A avó e a mãe dele estão muito abatidas, ele morava com elas em Pardinho. Ele era muito querido, vivia com um sorriso no rosto, eu nem dormi à noite vendo as homenagens para ele que os amigos estão fazendo no facebook”, contou a prima.

O Acontece Botucatu conversou também com a fotógrafa Malu Ornelas. “Ainda não sei de muita coisa. Ele era um bom menino, que notícia triste. Ele era um garoto corajoso, foi atrás do sonho, menino bom mesmo. Passou por grandes obstáculos, lutou mesmo para chegar aonde estava. Tão jovem e cheio de vida, é uma perda muito grande”, lamentou ela.

O corpo de Leon será trasladado ao Brasil com ajuda da Embaixada Brasileira na Indonésia. Ainda não há previsão para o velório.

Pardinho em luto

Pelo destaque do trabalho como modelo, Leon virou referência em Pardinho, cidade onde nasceu e cresceu. Os moradores da cidade estavam muito abalados com a notícia da morte do jovem.

“Estes dias acompanhamos tudo. Hoje íamos abrir uma conta para arrecadar fundos para a família ir para lá, já estava tudo esquematizado. Muito triste. Ele nasceu no mesmo ano que minha filha Isabela, iam na creche juntos desde os 4 meses de vida, eram muitos ligados como irmãos. Ele é pessoa mais maravilhosa que já cruzou nossas vidas! Extremamente gentil, carinhoso, alegre. Não dá para entender”, disse ao Acontece a pardinhense Márcia Vieira.