Família consegue dinheiro para trazer de volta ao Brasil corpo do modelo de Pardinho Leon Capeluppi

A família de Leon Capeluppi anunciou nesta terça-feira, 10, que conseguiu arrecadar o dinheiro necessário para o translado do corpo do modelo de Pardinho, morto no domingo, 08, de Jacarta, capital da Indonésia, para o Brasil.

Os custos eram altíssimos, por isso uma grande ação pela foi colocada em prática pelas redes sociais, onde milhares de pessoas se mobilizaram para compartilhar os posts da família e de veículos de comunicação que se empenharam na causa.

Segundo a família, o corpo de Leon deve sair de Jacarta nesta quarta-feira, 11, com previsão de chegada ao brasil na sexta-feira, 12. O comunicado foi feito pela irmã de Leon, Brunelli Paes. 

"É com imensa emoção que eu e minha família gostaríamos de agradecer a todos que nos auxiliaram nesse momento muito difícil de nossas vidas. Foram tantas palavras de conforto e muita solidariedade vinda de pessoas que sequer imaginávamos. Graças à vocês conseguimos arrecadar a importância para o traslado do meu querido irmão e demais despesas. Não está sendo fácil, mas sabemos agora, que estaremos amparados para superar a dor, ainda que a saudade nunca nos deixe. Obrigado pelo carinho, compaixão, amizade e dedicação.  Neste momento vimos o quão importante foram as amizades, as ajudas, não só financeira, mas de apoio e carinho foram de grande importância. Agradeço do fundo do meu coração, Deus abençoe", disse a irmã Brunelli Paes. 

 

Relembre o caso

 

Leon Capeluppi de 24 anos morreu no domingo, 8, em Jacarta, capital da Indonésia. Ele iniciou os trabalhos em Botucatu na agência de modelos da fotógrafa Malu Ornelas. Leon passou nos últimos dias e foi internado em um hospital da cidade com suspeita de dengue, porém, com a evolução do quadro, os médicos passaram a suspeitar de malária.

Os amigos do jovem criaram uma “vaquinha” virtual para ajudar nos custos hospitalares. “Por favor, ajudar a salvar Leon Lopes Capeluppi. Diagnosticada pela primeira vez com a dengue, a doença dele cresceu e agora eles dizem que poderia ser MALÁRIA. Ele está na unidade de terapia intensiva !!! Seu coração está dilatado e não está funcionando corretamente”, disse o autor da vaquinha virtual.

Ainda segundo o texto, o jovem estava sedado já que a dor era muito forte. Os custos da internação ficariam em torno de R$ 25 mil.

A reportagem do Acontece Botucatu conversou por telefone com a prima de Leon, Sulei Dionizio de Barros. Segundo ela, foi confirmada a causa da morte como dengue hemorrágica. “O hospital só liberaria o corpo depois que a causa fosse descoberta. O coração dele estava inchado e hoje cedo (segunda) eles atestaram que foi dengue hemorrágica e não malária, como estavam suspeitando”, explicou Sulei.

O jovem estava em Jacarta desde janeiro, sendo esta a terceira vez que ele realizava trabalhos como modelo naquele país. “A avó e a mãe dele estão muito abatidas, ele morava com elas em Pardinho. Ele era muito querido, vivia com um sorriso no rosto, eu nem dormi à noite vendo as homenagens para ele que os amigos estão fazendo no facebook”, contou a prima.

O Acontece Botucatu conversou também com a fotógrafa Malu Ornelas. “Ainda não sei de muita coisa. Ele era um bom menino, que notícia triste. Ele era um garoto corajoso, foi atrás do sonho, menino bom mesmo. Passou por grandes obstáculos, lutou mesmo para chegar aonde estava. Tão jovem e cheio de vida, é uma perda muito grande”, lamentou ela.

O corpo de Leon será trasladado ao Brasil com ajuda da Embaixada Brasileira na Indonésia. Ainda não há previsão para o velório.

Pardinho em luto

Pelo destaque do trabalho como modelo, Leon virou referência em Pardinho, cidade onde nasceu e cresceu. Os moradores da cidade estavam muito abalados com a notícia da morte do jovem.

“Estes dias acompanhamos tudo. Hoje íamos abrir uma conta para arrecadar fundos para a família ir para lá, já estava tudo esquematizado. Muito triste. Ele nasceu no mesmo ano que minha filha Isabela, iam na creche juntos desde os 4 meses de vida, eram muitos ligados como irmãos. Ele é pessoa mais maravilhosa que já cruzou nossas vidas! Extremamente gentil, carinhoso, alegre. Não dá para entender”, disse ao Acontece a pardinhense Márcia Vieira.