Falta de leitos no HC em Botucatu gera revolta pela rede social

 

falta de leito

Um desabafo feito pela filha de uma paciente na noite desta terça-feira, 02, expôs um grave problema que vem afetando o Hospital das Clínica em Botucatu, a falta de leitos disponíveis para a demanda apresentada. Em uma postagem que repercutiu no Facebook, a corretora de imóveis Manuella Bonome mostrou o drama que atinge muitas pessoas diariamente.

“Um absurdo o que está acontecendo aqui. Minha mãe está desde as 10 horas da manhã aguardando leito e até agora a única resposta que tivemos é que temos que aguardar. A previsão do leito? Sem previsão. Ainda tive que ouvir que ela está aqui há 12 horas, tem gente que está aqui há 4 dias”, disse Manuella Bonome.

Indignada, ela conta que sua mãe, passou por cirurgia recentemente para a retirada de um tumor e está sendo internada por conta de um vazamento nos pontos da cirurgia. “Ela passou por uma cirurgia recentemente para retirada de um tumor e há duas semanas a cabeça dela começou a vazar no local dos pontos. Foi trocado o antibiótico duas vezes e não adiantou nada e por este motivo será internada para contenção deste vazamento que é de caráter infeccioso segundo os médicos”, colocou.

Em contato com a reportagem do Acontece Botucatu, Manuella Bonome disse que de tanto insistir, sua mãe foi levada para a observação do Hospital por volta das 22 horas. Ela se encontrava no PS, mas sua internação deveria ser na Neurocirurgia do Hospital.

falta de leito 3

“Não falo apenas pela minha mãe, mas também pelas pessoas que estão aqui na mesma situação e outras até mesmo em situação pior. Pessoas doentes e um senhor de idade deitado num colchão improvisado no chão frio, um absurdo mesmo. O que nos resta é orar e pedir a Deus que nada aconteça”, relatou Manuella.

A paciente teve consulta marcada para segunda-feira, 02, às 13h00, para ser examinada no local em que sofreu a cirurgia. O vazamento já dura duas semanas segundo a família.

“Eles disseram que ela está com infecção e que precisava ser internada. Ela está debilitada e não consegue andar devido a sequela da cirurgia que fez. O braço direito não mexe direito. Ela não consegue se locomover sozinha. Daí o pior começou ontem. O médico não deixou ela ir embora ontem e disse que iria interná-la ontem mesmo, mas como não tinha leito, eles pediram que ela voltasse hoje (terça-feira) às 10h00 no PS. Mas não há previsão de leito. Ela ficou 12 horas esperando em uma cadeira de rodas e só agora colocaram ela em uma maca”, relatou.

Há relatos de outras pessoas que esperaram por leito o dia todo e foram embora. Há informações de que a demanda por internações aumentou significativamente nos últimos meses. Na manhã seguinte a paciente em questão foi internada em um leito. Em nota enviada pela assessoria de imprensa ainda na noite desta terça-feira, 02,  o HCFMB se manifestou sobre o caso.

Nota oficial sobre pacientes que aguardam leito no PS do HCFMB

O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB), que é referência para o atendimento de média e alta complexidade em toda a região e atende, em média, 600 pacientes por dia em suas unidades de urgência e emergência, esclarece que em hipótese alguma acomoda pacientes no chão. A senhora retratada na foto aguardava pela internação na sala de espera, pois não havia critério para a utilização de maca. Neste momento, ela encontra-se acomodada e assistida na sala de observação do PS.

Sobre o tempo de espera para internação de pacientes em seu Pronto-Socorro Referenciado (localizado no HCFMB), o Hospital afirma que o problema foi ocasionado por um aumento na demanda que superou a disponibilidade de leitos. É preciso salientar que os critérios para internação estão relacionados vários fatores, como: disponibilidade vaga, gravidade do quadro do paciente, idade, e, finalmente, tempo de espera. Todos os esforços possíveis estão sendo feitos para que os pacientes sejam internados no menor tempo possível, o que, infelizmente, não depende da vontade das equipes médica e de enfermagem.