Empresa de ônibus aumenta proposta e evita greve

Fotos: Valéria Cuter

Para evitar a greve marcada para ser iniciada na primeira hora desta sexta-feira (27), a empresa Sant´Anna, uma das concessionárias do transporte coletivo urbano de Botucatu, solicitou a convocação de uma assembleia para apresentar nova proposta aos trabalhadores na manhã desta quarta-feira, em frente a garagem.

Na assembléia realizada na tarde da segunda-feira última os funcionários não aceitaram o aumento de 7%, mais dois abonos de R$ 100,00 da Participação nos Lucros e Resultados (PLR), a serem pagos nos meses de novembro de 2012 e março de 2013 e optaram pela greve. Já os trabalhadores da empresa Stadtbus, a outra empresa que explora o transporte coletivo urbano, não aderiu ao movimento grevista.

A nova proposta apresentada foi de 8% de aumento e mais os dois abonos de R$ 100,00 da PLR. Os funcionários, por aclamação, aceitaram e com isso neutralizaram uma greve que estava prevista para ser deflagrada a partir da primeira hora de sexta-feira, coordenada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de São Manuel, onde Botucatu está inserida.

“Para se ter uma ideia, esse aumento que estamos dando em Botucatu foi o maior entre todas as empresas concessionárias do Brasil. Os próprios funcionários entenderam que a greve era ruim para a Cidade e chegamos a um entendimento pacífico aumentando nossa proposta para 8%, que corresponde a quase o dobro da infração acumulada no período”, compara o gerente da empresa Sant´Anna, Antônio Paulo Ruiz.

Ele lembrou que empresa está sem aumento na tarifa desde junho do ano passado e nesse período o combustível subiu assim como as peças de reposição dos carros. Enfatiza que o número de passageiros diminuiu, a quilometragem percorrida, em algumas linhas aumentou e o reajuste das tarifas só vai acontecer em novembro. “Então Fomos até onde deu para costurar esse acordo. Felizmente, tudo correu bem e a população não será privada de usar o transporte coletivo”, comentou Ruiz.

O presidente do sindicato Geraldo Navas, disse que a decisão dos trabalhadores é soberana. “Nós (do sindicato) somente intermediamos a negociação e explicamos aos trabalhadores como estão as perdas salariais e a infração do período. O sindicato não faz nada sem o aval dos trabalhadores. Temos aqui hoje 101 trabalhadores que acataram a proposta apresentada pela empresa. Então, não teremos greve em Botucatu”, disse Navas.