Empresa assina protocolo ao Parque Tecnológico

O prefeito de Botucatu, João Cury Neto, ao lado do secretário adjunto de Ciência e Tecnologia, Carlos Costa, recebeu na tarde desta quinta-feira (2) representantes da JM BioAnalises. Esta é a segunda empresa a assinar junto ao Poder Público Municipal um protocolo de intenções para a instalação no Parque Tecnológico (ParqTec) da Cidade. No último dia 25 de março, o mesmo acordo havia sido firmado com a empresa WPS, representante da Würtz, líder mundial na fabricação de aditivos para a fabricação de painéis de madeira.

A JM BioAnalises é um Laboratório que atua na pesquisa e desenvolvimento da área agronômica desde 2008. Sua atual sede está localizada no Parque Residencial Primavera, próxima ao campus da Fazenda Lageado (Unesp), onde emprega 24 funcionários.

“Trabalhamos com a prestação de serviços para realização de estudos de resíduos de agrotóxicos para fins de registro e outros contaminantes químicos em matrizes alimentares e ambientais. Somos reconhecidos pelo Inmetro, em Boas Práticas de Laboratório (BPL) e NBR ISO/IEC 17025”, explica Rafaela Macedo, responsável pelo Departamento Comercial e Administrativo da JM BioAnalises.

“Somos uma empresa que enxerga no Parque Tecnológico uma grande possibilidade de crescimento. Temos como pretensão estar instalados no Parque até o início de 2015”, afirma Junior Modesto, diretor da JM.

O prefeito João Cury Neto garante que todas as expectativas depositadas com a criação do Parque Tecnológico já estão sendo correspondidas. Na visão dele, o Parque Tecnológico será um marco para o desenvolvimento local e regional, com a instalação de empresas tecnológicas ambientalmente corretas, geradoras de receita e emprego ao Município.

“Botucatu, que já é um polo de pesquisa universitária, será reconhecida ainda mais pelos projetos de inovação industrial de ponta que irão surgir neste Parqtec, que transformará conhecimento em riqueza”, salienta.

Neste mês de abril deverá ser lançado o edital de chamamento para as empresas interessadas em se instalar no complexo, lista a qual a WPS e a JM BioAnalises fazem parte. As obras do Parque Tecnológico estão bastante adiantadas. A intenção do Poder Público é inaugurá-lo ainda neste primeiro semestre.

{n}Sobre o Parque{/n}

O Parque Tecnológico de Botucatu será voltado ao desenvolvimento de novos produtos e serviços nas áreas de bioprocessos, biotecnologia, meio ambiente, produtos florestais, produtos naturais da fauna e da flora, tecnologias sociais e logísticas. Ele está ? s margens da Rodovia Gastão Dal Farra (km 7), em uma área de mais de 280 mil metros quadrados, dotado de infraestrutura completa.

O prédio central do complexo terá 1.800 m² e contará com salas de reunião, salas de treinamento, instalações para diretoria, secretaria, administração, compras, manutenção, salas de espera, recepção, copa, sanitários, área de atendimento, hall, dois anfiteatros e auditório para 190 pessoas. Serão disponibilizados 18 terrenos de aproximadamente 1.500 metros quadrados e 16 salas no núcleo para escritórios especializados.

Botucatu faz parte das 14 iniciativas com pré-credenciamento na Rede Paulista de Parques Tecnológicos. São José dos Campos, Sorocaba, Ribeirão Preto, Piracicaba, Santos e São Carlos já têm seus parques tecnológicos em funcionamento. De acordo com a Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), Brasil conta com 400 incubadoras de empresas e cerca de 90 iniciativas de parques tecnológicos.