Eleição direta escolhe membros do Conselho Tutelar de Botucatu

Entre  9 às 17 horas deste domingo,  na Escola Rafael de Moura Campos, a comunidade  botucatuense em eleição direta e espontânea escolheu os cinco membros que comporão o Conselho Tutelar que tomam posse em  10 de janeiro de 2016 para um mandato de 4 anos.  Foram 15 candidatas que concorreram as cinco vagas de conselheiro. Processo ocorreu em data unificada em todo o território nacional.

Em Botucatu foram computados 707 votos e a contagem aconteceu logo após o encerramento do pleito. A votação foi acompanhada pelo promotor da Vara da Infância e da Juventude da Comarca de Botucatu, Cézar Rodrigues Marques. Todo processo foi coordenado pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) de Botucatu, sob a fiscalização do Ministério Público.

Por decisão da comunidade votante foram eleitas para compor o Conselho Tutelar   Maria de Lourdes Bossa, a Malú (200 votos); Rosemary da Cunha Carvalho (147);  Ana Paula Espíndola Rodrigues (114);  Maria Regiene dos Reis Cerqueira (108); e  Flávia Regina Rossi Conte Fioravante (89).

As outras 10 candidatas também receberam votos: Sandra Maria Nicolau (67); Elizângela Cristina Cândido (67); Patrícia Francisco Scolastici (62); Luciana Aparecida Paci Azeredo (54); Andréia Regina Gomes de Oliveira (45); Ingrid Aparecida Inocêncio (42);  Fátima dos Santos (36);  Juliete dos Santos (15); Telma Regina Ferrari (6); e Eliane de Souza Pires (2).

Foi esta a primeira vez que o processo de escolha se deu através de voto direto e secreto dos eleitores da cidade. Cada eleitor pôde votar em apenas uma candidata e se apresentou ao local munido do título eleitoral e de documento de identidade com foto. As 15 candidatas passaram por treinamento, entrevista e realizaram uma prova dentro do contexto de escolha.

O Conselho Tutelar é um dos órgãos que atua na garantia dos direitos da criança e do adolescente. Sua função principal é a tomada de providências em casos de ameaças ou violação dos direitos da criança e do adolescente. Ao ser informado de um caso, o Conselho Tutelar deve atuar para garantir que a transgressão do direito não aconteça ou que o direito seja restaurado, caso a violação já tenha acontecido. É composto por cinco membros, eleitos pela comunidade para um mandato de 4 anos, contado da posse, que será no dia 10 de janeiro de 2016.