Duplicação da Gastão Dal Farra em fase final de negociação

O prefeito João Cury Neto, em viagem a São Paulo, praticamente, selou o acordo que garantirá a duplicação do trecho mais urbanizado da rodovia Gastão Dal Farra. O encontro aconteceu na sede do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) com a presença do diretor de operações Mansueto Lunardi e do secretário municipal de Obras, Nivaldo Vizotto.

A preocupação da administração municipal é de garantir o mais rápido possível a melhoria das condições de tráfego e segurança na estrada que permite o acesso a uma das regiões que mais crescem em Botucatu.

“A cidade praticamente abraçou a rodovia. Temos bairros dos dois lados da pista como o Parque 24 de Maio, Cohab 3, Santa Mônica, Cedro, Jardim Aeroporto, Santa Maria e, em breve, o Maria Luíza. Precisamos de investimentos que permitam o escoamento em condições seguras do tráfego de veículos que se intensificou muito naquela região em razão dos grandes investimentos que realizamos por lá”, afirma João Cury.

O prefeito se refere a construção de um novo hospital estadual com 80 leitos, da clínica de recuperação para dependentes químicos com 75 leitos, do Parque Tecnológico, do futuro Distrito Empresarial, do Residencial Maria Luíza (817 unidades habitacionais) e da futura escola da Embraer.

Como a curto e médio prazo não consta no plano de investimentos do DER e da Rodovias do Tietê – empresa que detém a concessão do principal trecho da estrada – a duplicação da Rodovia Gastão Dal Farra, Cury sugeriu uma parceria para viabilizar o projeto. A proposta é que seja duplicado o trecho de cerca de 5 km que vai do viaduto da Marechal Rondon (logo na saída da Avenida Itália) até as imediações da EMEF Elda Moscogliato (antiga Cesp). Caberia ao DER e a Rodovias do Tietê o fornecimento da massa asfáltica e a prefeitura executaria a obra com maquinário e mão-de-obra próprios.

A proposta foi aceita e a regional do DER fará um levantamento da quantidade de material a ser utilizado. Depois disso será formalizado um termo de cooperação entre as partes. Durante as negociações também foi incluído o alargamento e posterior recape da avenida José Ítalo Bachi até a confluência com a Avenida Alcides Cagliari que faz a ligação com a Castelinho.

“É difícil estabelecer prazos, mas nosso desejo é iniciar as obras ainda nesse primeiro semestre. Não serão necessárias desapropriações e isso acelera o trâmite. Executaremos os serviços em etapas. Se as condições do tempo forem favoráveis, acredito que poderemos concluí-los no prazo de cinco meses”, informa Vizotto.